Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

Ex-senador é alvo da 28ª fase da Operação Lava Jato

(Foto: Agência Senado) - Ex-senador é alvo da 28ª fase da Operação Lava Jato
(Foto: Agência Senado)

A Polícia Federal deflagrou, na manhã desta terça-feira (12), a 28ª fase da Operação Lava Jato, intitulada de Operação Vitória de Pirro. Cem policiais cumprem um mandado de prisão preventiva, dois mandados de prisão temporária e quatro de condução coercitiva, além de 14 mandados de busca e apreensão, nos municípios de São Paulo, Rio de Janeiro, Taguatinga e Brasília.

Entre os presos está o ex-senador Gim Argello, segundo informações da Agência Estado. Dois assessores dele também são alvo da operação. 

De acordo com a PF, a operação está relacionada com indícios concretos de que um “destacado” integrante da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) instaurada no Senado Federal e também da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) instaurada no Congresso Nacional, ambas com o objetivo de apurar irregularidades no âmbito da Petrobras, teria atuado de forma incisiva no sentido de evitar a convocação de empreiteiros para prestarem depoimento. Os fatos aconteceram em 2014.

A PF informa que isto teria acontecido mediante a cobrança de pagamentos indevidos e que foram transformados em doações eleitorais oficiais em favor dos partidos de sua base de sustentação. Gim Argello foi vice-presidente da CPMI da Petrobras. 

Segundo a Polícia Federal, os fatos investigados nesta fase apuram a prática dos crimes de concussão, corrupção ativa, associação criminosa e lavagem de dinheiro. Os presos na operação serão encaminhados para a Superintendência da PF em Curitiba.

Vitória de Pirro

Segundo a PF, o nome da operação remete à uma “expressão histórica que representa uma vitória obtida mediante alto custo, popularmente adotada para vitórias consideradas inúteis. Em que pese a atuação criminosa dos investigados no sentido de impedir o sucesso da apuração dos fatos na CPI/Senado e CPMI/Congresso Nacional, tal fato se mostrou inútil frente aos resultados das investigações realizadas no âmbito da denominada Operação Lava Jato”, diz nota divulgada pela PF.

Grupo do Massa News no WhatsApp

Receba as principais notícias do dia direto no seu celular.

  Entrar no grupo