Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

HC negado: ‘manter a prisão é imprescindível para maior grau de efetividade das investigações’

(Foto: Ilustração/Reprodução/Colaboração/Ailton Vieira/Rede Massa) - TJ não acata pedido de HC; Beto e Fernanda Richa continuam presos
(Foto: Ilustração/Reprodução/Colaboração/Ailton Vieira/Rede Massa)

O desembargador Laertes Ferreira Gomes do Tribunal de Justiça do Paraná (TJ-PR), negou na tarde de quarta-feira (12), o pedido de habeas corpus para Beto Richa e para a esposa, Fernanda Richa. Com isso, a prisão deve ser mantida pelo menos até o término do prazo de cinco dias, que encerra no sábado (15). A defesa do ex-governador deve recorrer.

Na decisão, o desembargador destacou que “a manutenção da prisão temporária é Imprescindível para manter maior grau de efetividade das investigações”. Conforme a decisão, em liberdade, Beto Richa poderia “praticar condutas a dificultar a produção de provas, como, por exemplo, destruir documentos relacionados aos crimes investigados, e até mesmo adulterar documentos como forma de conferir aparência de legalidade aos ilícitos já praticados, justamente porque detêm o completo conhecimento de como era operacionalizada a empreitada delituosa”, relata parte da decisão.

O magistrado ainda destacou que não dá para esquecer que o caso em questão, “se trata de um complexo esquema de desvio de dinheiro público perpetrado por uma organização criminosa hierarquizada, a qual, a princípio, praticou crimes de fraude à licitação, corrupção, lavagem de dinheiro, dentre outros, tendo ao que tudo indica operacionalizado desvios monetários que alcançam a estrondosa soma de 70 (setenta) milhões de reais”.

Beto e Fernanda estão detidos no Regimento de Polícia Montada, a Cavalaria da Polícia Militar, no Bairro Tarumã, em Curitiba. De acordo com as informações do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), os depoimentos dos presos na Operação Rádio Patrulha devem começar nesta quinta-feira (13).

O casal Richa, além de José Richa Filho, o Pepe, irmão de Beto; Deonilson Roldo, ex-chefe de gabinete do mandato de governador, Ezequias Moreira, nomeado secretário especial do governo Richa, estão entre os presos da operação.