Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

Mulher de Cunha visita ex-deputado na carceragem da PF

(Foto: Uol) - Mulher de Cunha visita ex-deputado na carceragem da PF
(Foto: Uol)

A jornalista Claudia Cruz, mulher do ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), visitou o marido na carceragem da Polícia Federal, na manhã desta sexta-feira (21), em Curitiba. Cunha está preso no local desde a tarde de quarta-feira (19).

Claudia saiu acompanhada do advogado Marlus Arns, que, ontem, disse na sede da PF, aos jornalistas, que nenhum parente de Cunha o visitaria em Curitiba a fim de poupá-los --o preso e os familiares --de desgaste com eventuais protestos. Na ocasião, Arns justificou que "os ânimos na sociedade estavam exaltados".

Claudia saiu sem se pronunciar. De preto, com coque e óculos escuros, passou incólume pela recepção e pela entrada da PF, sem ser identificada por populares.

Ao saírem, ela e o advogado embarcaram em um carro branco com placas de Curitiba, sede do escritório de Arns, um dos três que atendem Cunha --os outros dois escritórios são do Rio e de Brasília.

O advogado disse ontem que entraria com pedido de habeas corpus no TRF-4 (Tribunal Regional Federal), em Porto Alegre, ainda hoje. Na saída com a jornalista ele não confirmou; a assessoria do escritório, contudo, informou que essa previsão, por ora, segue valendo.

A suposta não visita de Claudia ao marido é a segunda declaração da defesa de Cunha que cai por terra horas antes de o advogado se pronunciar.

Também ontem, o advogado havia dito que o ex-deputado não teria feito nenhum pedido especial, por exemplo, em relação à alimentação --de modo que sua primeira refeição, na quarta, foi a mesma marmita servida aos demais presos: arroz, feijão e frango.