Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

Novo prefeito de Maringá Ulisses Maia apresenta secretariado e reclama de transição

Novo prefeito de Maringá Ulisses Maia apresenta secretariado e reclama de transição Novo prefeito de Maringá Ulisses Maia apresenta secretariado e reclama de transição

O novo prefeito eleito de Maringá, Ulisses Maia (PDT), apresentou quatro secretários municipais na manhã desta quinta-feira (24), em entrevista coletiva realizada em seu comitê político. Ele estava acompanhado dos nomes do primeiro escalão: Gilberto Purpur, Paulo Sérgio Larson Carstens, Orlando Chiqueto, além do vice Edson Scabora.

Ulisses Maia voltou a ressaltar que suas escolhas foram técnicas, com profissionais reconhecidos em suas áreas. Gilberto Purpur, que havia sido o primeiro nome anunciado, assumirá a pasta do Trânsito e Segurança. Ele é servidor de carreira, engenheiro de trânsito e atuou anos na pasta, inclusive como diretor e secretário. Porém, após um desentendimento com o atual prefeito Roberto Pupin (PP), foi transferido para o Cemitério Municipal.

O novo secretário de Fazenda é Orlando Chiqueto, profissional de contábeis que já foi presidente do Sindicato dos Metalúrgicos, faz parte da Associação Comercial e Empresarial de Maringá e outras entidades.

Conhecido pela austeridade, o coronel Paulo Sérgio Larson Carstens, ex-comandante do 4º Batalhão da Polícia Militar, vai assumir a Secretaria Municipal de Recursos Materiais, Abastecimento e Logística. A pasta é responsável pelas compras públicas e o almoxarifado central.

Já o urbanista Edson Cardoso deixa a presidência do Conselho de Desenvolvimento Econômico de Maringá (Codem) e assume a secretaria de Planejamento.

Transição

O prefeito Ulisses Maia disse que sua primeira medida à frente do Executivo será o envio de uma reforma administrativa à Câmara Municipal de Maringá, com redução de 31 para 19 secretarias e 515 para 150 comissionados, mudança que deve causar uma economia de R$ 20 milhões ao ano.

Maia ainda criticou a postura da atual administração durante a transição e prometeu rever as decisões de Pupin, por meio de uma auditoria, assim que assumir a prefeitura.

Colaboração Célia Martinez e Marcos Vinicius da Rede Massa