Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

Servidores invadem Câmara Municipal e confusão deixa feridos

Servidores invadem Câmara Municipal e confusão deixa feridos

Servidores municipais invadiram o plenário da Câmara Municipal de Curitiba na manhã desta terça-feira (20), quando seriam apreciados quatro projetos de lei que tramitam em regime de urgência e que fazem parte do Plano de Recuperação de Curitiba, proposto pela prefeitura de Curitiba. Há relatos de pelo menos seis pessoas feridas durante a confusão.


A sessão foi suspensa em função da confusão. Os servidores pedem a retirada dos projetos de lei sobre o ajuste fiscal.

O clima é tenso desde a chegada dos servidores, que se concentram no entorno da Câmara Municipal. Um grande efetivo policial faz a proteção do Palácio Rio Branco e anexos da Câmara. Os funcionários públicos bloquearam a rua Barão do Rio Branco e uma das pistas da Avenida Visconde de Guarapuava.

Mesmo com a presença dos policiais militares, um grupo conseguiu entrar no plenário da Câmara. A sessão foi aberta normalmente, por volta das 9h, e houve uma pausa de 10 minutos para uma reunião de líderes sobre a votação dos projetos do Plano de Recuperação. A invasão aconteceu pouco depois dos vereadores retornarem ao plenário. Os parlamentares saíram assim que os manifestantes entraram no local.


Na terça-feira passada (13), quando estava prevista a sessão de apreciação destes quatro projetos, também houve uma grande concentração de servidores no entorno da Câmara. A sessão foi suspensa para avaliação da segurança e, no final da tarde, parte dos servidores invadiu o prédio. Após uma série de reuniões, ficou acordada a suspensão da sessão até hoje.

Dois dos quatro projetos de lei envolvem temas que afetam diretamente os servidores municipais: alteração da data-base da categoria de 31 de março para 31 de outubro, além de congelar carreiras do funcionalismo, e mudança na Previdência dos funcionários públicos, com a retirada de R$ 600 milhões do Instituto de Previdência dos Servidores do Município de Curitiba (IPMC).

Os outros projetos são referentes ao leilão de dívidas do município e instituição da Lei de Responsabilidade Fiscal do Município. Além dos quatro projetos de lei, também seriam apreciadas 38 emendas anexadas sobre as propostas.

Veja o momento da invasão