Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

Viana diz que permanência de Renan no cargo 'deveria ser' saída para crise

(Foto: Agência Brasil) - Viana diz que permanência de Renan no cargo seria saída para crise
(Foto: Agência Brasil)

MARINA DIAS E DÉBORA ÁLVARES

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - Vice-presidente do Senado, Jorge Viana (PT-AC) disse que a melhor saída para a crise "deveria ser" manter Renan Calheiros (PMDB-AL) na presidência da Casa, mas afastá-lo da linha sucessória da presidência da República. O petista ponderou, no entanto, que essa é uma decisão do STF (Supremo Tribunal Federal), que decide nesta quarta (7) o destino do peemedebista.

"Deveria ser [a saída], mas essa é uma decisão do Supremo e temos que esperar", afirmou Viana pouco antes de entrar no gabinete da presidência do Senado, onde se encontraria com Renan.

Os ministros do Supremo estão reunidos esta tarde em plenário para decidir sobre manter ou não a determinação de Marco Aurélio Mello que, na segunda (5), concedeu liminar para afastar o peemedebista da presidência do Senado. Se confirmarem a decisão, Jorge Viana é quem assume o posto.

O senador petista telefonou mais cedo para Renan e relatou que havia convocado uma sessão ainda para esta quarta no Senado. O peemedebista, por sua vez, chegou por volta das 14h30 à Casa e foi ao gabinete da presidência, onde assiste ao julgamento do STF pela TV.

Viana e o senador Romero Jucá (PMDB-RR) foram ao encontro de Renan logo após o início da sessão no Supremo. Relataram que o colega está "tranquilo", aguardando a decisão dos ministros.

Nesta terça, Renan se recusou a cumprir a liminar de Marco Aurélio, criando um impasse sobre o comando da Casa.

Grupo do Massa News no WhatsApp

Receba as principais notícias do dia direto no seu celular.

  Entrar no grupo