Queda na receita levou à demissão de funcionários do Twitter, justifica Musk

Poucas horas após demitir ao menos 3.250 colaboradores, Elon Musk, agora dono do Twitter, além da Tesla e Space X, justificou a redução no quadro de funcionários em uma série de publicações. 

Segundo Musk, não houve escolha, já que de acordo com ele a empresa estaria perdendo mais de US$ 4 milhões por dia. O bilionário também assegurou que os demitidos receberam uma indenização de 3 meses, o que seria 50% mais do que o exigido por lei. 

Aqui no Brasil, o corte atingiu uma porcentagem dos 150 colaboradores, informados, via e-mail, que seus serviços não seriam mais necessários. 

No geral, as demissões afetam todas as áreas, menos a de vendas, segundo a Bloomberg, e fazem parte de uma reestruturação proposta pelo novo dono da rede social.

Segundo o chefe de Segurança e Integridade da rede social, Yoel Roth, a redução no quadro de funcionários afetou 15% da organização de Confiança e Segurança, que lida diretamente com a moderação de conteúdo no Twitter, sendo assim a área que sofreu menos impacto com a redução.

“Na semana passada, por motivos de segurança, restringimos o acesso às nossas ferramentas internas para alguns usuários, incluindo alguns membros da minha equipe. A maioria dos mais de 2.000 moderadores de conteúdo que trabalham na revisão de linha de frente não foi afetada e o acesso será totalmente restaurado nos próximos dias.”, relatou Roth, no Twitter. 

Ainda segundo Roth, o volume diário de ações de moderação permaneceu estável durante esse período.

Informações de SBT News