Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

Embrapa e POD se unem para estudar o solo do Oeste paranaense

Divulgação - Embrapa e POD se unem para estudar o solo do Oeste paranaense
Divulgação

O Programa Oeste em Desenvolvimento (POD) e a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) assinaram nesta quinta-feira (24), uma carta de intenção que viabilizará estudos no solo das propriedades do Oeste do Paraná. O documento foi assinado durante o 3º Fórum de Desenvolvimento Econômico do Território do Oeste do Paraná, que acontece na Pontifícia Universidade Católica (PUC), em Toledo. A Itaipu e a Fundação Parque Tecnológico Itaipu (FPTI) são apoiadores do POD.

Biofertilizantes gerados a partir da compostagem dos animais mortos e utilizados como adubo podem deixar o solo ácido e prejudicar futuras plantações, razão pela qual é necessária uma avaliação acurada da qualidade da terra. Somente as sete maiores cooperativas da região têm, no total, uma área de 1,74 milhões de hectares a ser estudada. A previsão é que as avaliações iniciem no primeiro semestre de 2017.

Segundo Jonhey Nazario Lucizani, representante da FPTI no POD, o estudo apresentará também alternativas para a utilização adequada dos biofertilizantes. Em alguns estados, como Santa Catarina, o solo já está tão ácido que o uso de biofertilizantes foi proibido.

O acordo prevê ainda intercâmbio de conhecimentos, tecnologias e estudos voltados para a pesquisa agropecuária, em especial suínos e aves, além do desenvolvimento de cursos, programas, projetos e eventos de interesse comum.

Censo

Durante o Fórum também será feita a entrega do Censo de Secretarias de Agricultura do Oeste do Paraná (Censo Seagri-Oeste), realizado pelo POD entre os meses de julho e agosto. O estudo apresenta, por exemplo, que 76% das propriedades rurais dos 54 municípios do Oeste do Paraná praticam agricultura familiar. E 98% dos municípios desenvolvem alguma ação para melhoria da infraestrutura rural com enfoque nas necessidades das atividades produtivas.

A pesquisa realizada com os secretários municipais de Agricultura traçou um perfil da realidade individual dos municípios e suas características, como o número e perfil de funcionários, grau de escolaridades dos colaboradores, ações já realizadas, projetos em andamento e políticas agropecuárias desenvolvidas nos últimos anos.

O censo levantou também a quantidade de estabelecimentos agropecuários no município, quantos recebem assistência técnica, as principais e mais importantes atividades municipais. Na linha de políticas agropecuárias, a pesquisa diagnosticou, por exemplo, o que cada secretaria vem fazendo para promover o setor, como investimento em assistência técnica, vacinas, compra de insumos, sucessão familiar e controle de doenças.

“Entregaremos esse documento durante o Fórum, por ser o ambiente de debate estratégico das propostas a serem trabalhadas pelo POD para promover o desenvolvimento econômico sustentável do Oeste”, explicou o presidente do Oeste em Desenvolvimento, Mário Costenaro.

De acordo com Jaime Nascimento, da assistência da Diretoria Geral Brasileira da Itaipu e secretário executivo do POD, a pesquisa com os secretários municipais permitiu conhecer a realidade de cada município. “Assim, poderemos contribuir para fortalecer os projetos já existentes e os municípios poderão apoiar as ações elencadas pelas câmaras técnicas do POD como prioritárias para o crescimento sustentável da região”.

Colaboração: Assessoria