Em março, 1.447 leitos foram abertos no Paraná

O Paraná ativou 1.447 novos leitos exclusivos para tratamento da covid-19 no mês de março, período que registrou a maior alta de casos e óbitos em decorrência do coronavírus, desde o início da pandemia. Dos leitos, 493 são de UTI e 954 de enfermaria, todos destinados a adultos. O total de ativações no Estado em março é o equivalente a mais de 14 hospitais de campanha de 100 leitos cada.

Com a ampliação, o Paraná dispõe de um total de 4.712 leitos ativos: 1.794 de UTI adulto, 2.896 de enfermaria adulto, 22 de UTI pediátrica e 34 de enfermaria pediátrica. Na prática, são 47 hospitais de campanha. A diferença é que, quando os novos leitos são integrados a um hospital já existente, os pacientes dispõem de infraestrutura e equipe médica já consolidados no local, aumentando os cuidados com os pacientes.

O governador Carlos Massa Ratinho Junior disse que o número de leitos existentes dobrou no Estado durante esse período de emergência em saúde pública. “Priorizamos desde o começo da pandemia a formatação de uma rede mais completa. É o maior aumento de leitos da história do Paraná”, disse Ratinho Junior. “Apenas em março, chegamos a abrir quase 1.500 novos leitos exclusivos Covid-19. Isso representa mais de 14 hospitais de campanha em número de leitos: é um volume gigantesco”.

O secretário da Saúde, Beto Preto, explicou que o Governo do Estado optou por não ter hospitais de campanha no Paraná, e utilizar a estrutura dos hospitais. “São 62 hospitais na nossa rede, e o resultado tem sido muito bom, porque conseguimos otimizar estruturas que já existiam. É menos complicado um hospital já existente trazer novos médicos para compor sua equipe de plantonistas em uma UTI do que abrir um hospital do zero. Queremos que a nossa medicina seja protagonista desse momento da história”, afirmou o secretário.

Macrorregiões

A macrorregião Leste foi a que mais teve abertura de novos leitos no mês. Foram 282 de UTI e 463 de enfermaria. Curitiba foi a cidade com maior abertura de leitos: foram 130 de UTI e 388 de enfermaria, sendo 240 apenas nas Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) da Capital.

Só no Hospital do Rocio, em Campo Largo, foram ativados 52 novos leitos de UTI na última segunda-feira (29), aumentando em 36,3% a capacidade de atendimento da ala Covid-19 do hospital (que atualmente representa 90% de toda sua estrutura). No total, o hospital tem 195 UTIs e 314 leitos de enfermaria exclusivos.

“Em Paranaguá, por exemplo, conseguimos fazer uma mudança da estrutura das enfermarias para dentro de outra ala do hospital, e com isso passamos a 35 leitos de UTI no Hospital Regional do Litoral”, ressaltou Beto Preto.

Na sequência, o Noroeste conta com 89 novas vagas em UTIs e 185 em enfermarias. Apenas em Maringá, foram ativados 23 novos leitos de UTI e 69 novas enfermarias, divididos entre o Hospital Municipal, Hospital do Câncer e Hospital Santa Rita. Na região, as cidades de Colorado, Umuarama e Paranavaí também tiveram ativações.

O Oeste, por sua vez, ativou 85 novos leitos de UTI e 113 de enfermaria. Em Cascavel, terceira cidade do Estado com mais leitos abertos no período, foram 5 leitos de enfermaria e 42 leitos de UTI – dos quais 32 foram no Hospital Universitário do Oeste do Paraná, totalizando 70 leitos exclusivos para Covid-19.

Já a macro Norte teve 37 leitos de UTI e 193 de enfermaria. As vagas foram distribuídas entre Londrina, Cornélio Procópio, Ivaiporã, Santo Antônio da Platina, Bandeirantes, Cambé e Arapongas.

Informações da AEN