Paraná se prepara para receber doses da vacina da Pfizer

O Paraná está equipado para receber e armazenar as doses da vacina da Pfizer, contra a covid-19. Ao todo, são nove freezers, dos quais sete são de ultrabaixa temperatura (-80ºC), podendo armazenar as doses por até seis meses, e dois são de temperatura de -20ºC, que podem ser utilizados para armazenamento inicial das doses.

A previsão é de que, no início de maio, o Ministério da Saúde encaminhe aos estados o primeiro lote das vacinas produzidas pela farmacêutica norte-americana Pfizer, em pareceria com a empresa de biotecnologia alemã BioNtech. O governo federal tem um acordo de compra de 100 milhões de imunizantes da fabricante.

A secretaria estadual aguarda informações do Ministério quanto à temperatura em que o imunizante deverá ser enviado para definir estratégicas de recebimento.

Equipamentos

Os sete equipamentos de ultrabaixa temperatura são da rede do Centro de Hematologia e Hemoterapia do Paraná (Hemepar). Dois já foram deslocados para o Centro de Medicamentos do Paraná (Cemepar), setor da Secretaria de Estado da Saúde responsável pela logística, armazenamento e distribuição das vacinas contra a covid-19. Os equipamentos atendiam o Hemepar de Londrina e de Ponta Grossa.

As unidades do Hemepar remanejaram para outros refrigeradores os produtos armazenados nestes equipamentos, como kits para testes de segurança de bolsas de sangue e congelamento de plasma.

O Hemepar tem ainda outros cinco frezeers de ultrabaixa temperatura em Pato Branco, Umuarama, Campo Mourão, Guarapuava e Cascavel, que podem ser disponibilizados para o Cemepar, compondo parte da logística do armazenamento das vacinas da Pfizer. Eles podem ser deslocados para Curitiba.

Os outros dois freezers de temperatura -20ºC são do Cemepar e já são utilizados para armazenamento de vacinas.

Vacinas

As vacinas da Pfizer serão enviadas pelo Ministério em caixas térmicas em temperatura a ser informada e, imediatamente, deverão ser transferidas para os freezers antes da distribuição, conforme as orientações técnicas. As aplicações da primeira remessa devem ocorrer apenas nas capitais.

A Secretaria de Estado da Saúde tem ainda a previsão de receber outros seis equipamentos do Ministério da Saúde, quatro com capacidade entre 500 a 600 litros e dois com capacidade para 700 a 800 litros.

Informações da Agência Estadual de Notícias