Doenças de pele podem surgir durante inverno, fique atento!

As baixas temperaturas dos meses mais frios do ano e alguns hábitos como a vontade de tomar banho quente, demorado e como consequência diminuir a quantidade de água ingerida, contribuem para o surgimento e piora de dermatites de inverno.

Como a pele possui uma oleosidade natural ela age para evitar a penetração das bactérias, vírus, fungos e os demais poluentes do ar. No inverno a sudorese é menor e com isto reduz as células que produzem o manto hidrolipídico, que tem o papel de proteger a pele.

Com estes fatores, além dos banhos demorados e pouca ingestão de água, a proteção da pele diminui e assim compromete a sua hidratação e favorece o aparecimento de irritações e doenças.

Diante disso, as dermatites do inverno começam a aparecer, normalmente com o ressecamento é possível agravar alguns problemas de pele. Os principais são:

  • Psoríase;
  • Eczema;
  • Dermatite atópica;
  • Covid-19;

Mais de 50 efeitos foram associados à covid-19 desde o início da pandemia, mas um deles tem duas características quase exclusivas: em vários casos, a lesão na pele pode servir tanto como um sinal de alerta antecipado para pessoas que contraíram coronavírus, quanto acabar sendo o único sinal clínico ao longo da infecção inteira.

Pesquisadores do king’s college london, no reino unido, em um estudo com base em informações coletadas de quase 350 mil pessoas. Em números, 17% das pessoas que testaram positivo apontaram que erupções na pele foram as primeiras de várias manifestações, e 21% das pessoas disseram que esses sinais dermatológicos foram os únicos sinais clínicos da covid-19.

Veja mais detalhes sobre este caso na reportagem completa do Destaque Ponta Grossa e região desta terça-feira (22):