59% das brasileiras desconhecem que existem dispositivos que podem auxiliar a gravidez, diz estudo

Algumas mulheres que estão tentando ser mãe, optam por utilizar recursos alternativos quando não conseguem engravidar facilmente. Alguns dos recursos que elas podem usar são: gel específico para engravidar, que imita o muco cervical feminino, e ajuda a movimentar os espermatozoides em direção ao colo do útero; e outras utilizam até o próprio coletor menstrual para segurar os espermatozoides na vagina, para que eles sigam o seu caminho. Afinal, na hora das tentativas, vale tudo para dar uma ajuda para que a gravidez aconteça.  

Porém, conforme constatou a Famivita em seu mais recente estudo, 59% das mulheres não sabem que existem dispositivos que ajudam a manter o esperma perto do colo do útero, após a relação sexual. Principalmente as mulheres dos 25 aos 29 anos, com 65% das participantes afirmando desconhecer sobre tais dispositivos. 

Os dados por estado demonstram que, no Rio Grande do Sul, 71% das participantes desconhecem que existem dispositivos que podem facilitar a fecundação. No Paraná e em Santa Catarina, pelo menos 64% desconhecem sobre o assunto. Já em São Paulo e no Rio de Janeiro, 64% e 62%, respectivamente, não sabem que existem dispositivos que auxiliam a gravidez.

O coletor menstrual pode ser um grande aliado após a relação sexual, ajudando a segurar o esperma. Porém, ele não foi feito para isso. Para estes casos, existe o auxiliar para concepção SpermiFica, que mantém o sêmen dentro da cavidade vaginal. Ele atua como um promotor da fecundação, permitindo que os espermatozoides se movam em apenas uma direção: o óvulo. Conforme demonstra um estudo publicado no Journal of Pregnancy and Newborncare, na Holanda, um auxiliar para concepção aumentou as chances de concepção para 48% das participantes.