6 em cada 10 mulheres viajam sozinhas em busca de liberdade; especialistas dão dicas de segurança

Manter contato com familiares e amigos, pesquisar sobre o destino com antecedência e evitar o desembarque à noite são algumas boas práticas importantes para viajar com segurança e aproveitar melhor a experiência

A viagem solo é um marco na vida de qualquer pessoa. Para uma mulher, então, viajar sozinha é, além de um momento libertador, uma forma de empoderamento. E esse movimento tem crescido no Brasil e no mundo. 

Segundo uma pesquisa realizada em 2018 pela British Airways, empresa de aviação estrangeira, as turistas querem cada vez mais embarcar desacompanhadas para viver novas experiências.

Dados do estudo mostram que aproximadamente 50% das brasileiras entrevistadas já tinham o hábito de viajar sozinhas à época, enquanto 56% programavam viagens solos. A pesquisa revelou ainda que seis em cada dez mulheres que viajam sem companhia buscam independência e liberdade.

Outro levantamento mais recente, feito pela plataforma MaxMilhas, revela que tanto em 2019 quanto em 2020, cerca de 19% do total de passagens aéreas compradas foram de mulheres que iriam viajar sozinhas.

Mas, infelizmente, as mulheres ainda são mais prejudicadas em relação aos homens no que se refere à violência e insegurança urbana. Trata-se de um problema que não abrange apenas o campo das viagens, mas o cotidiano no geral.

No contexto do turismo, diferentes tipos de rankings são elaborados para classificar os países mais perigosos do mundo para turistas do sexo feminino. Um deles é o Women’s Danger Index, o qual lista os dez países mais perigosos para mulheres que viajam sozinhas.

O índice leva em consideração indicadores como dados relacionados à sensação de segurança na rua à noite, números de estupros, violência física ou sexual de parceiros, discriminação, entre outras variáveis. Na lista, estão países como África do Sul, Rússia, México, Irã, República Dominicana, Egito e Brasil.

Em referência ao Mês da Mulher, reunimos algumas dicas para mulheres que desejam viajar sozinhas dentro do Brasil ou no exterior. Contamos com o auxílio dos especialistas em viagem da MaxMilhas para elencar as informações, que envolvem alguns cuidados para preservar a segurança e aproveitar a aventura em paz e com qualidade.

Evite desembarcar à noite

É muito importante se atentar ao horário de desembarque no momento de comprar a passagem, evitando sempre chegar na parte da noite. Além de ser mais seguro desembarcar durante o dia, essa prática previne a turista de encontrar, por exemplo, estabelecimentos fechados, ou ter que pegar táxi ou transporte público à noite até o hotel.

Além disso, é também recomendável evitar o ato de caminhar sozinha no período noturno, principalmente em locais com pouco movimento. Compensa mais pegar o transporte público ou um táxi para se deslocar, inclusive para não se perder em um local desconhecido.

Manter contato com amigos e familiares 

A viagem solo para uma mulher oferece uma série de benefícios, como autoconhecimento, sensação de liberdade e crescimento pessoal. Por outro lado, é necessário ter cuidado e, entre as boas práticas, está manter contato com familiares ou amigos.

Por questão de segurança, vale a pena elaborar e entregar a eles uma espécie de roteiro com detalhes dos passeios, endereços e telefones das acomodações. 

Ficar atenta ao pegar táxi ou transporte público

Infelizmente, acontece de os taxistas fazerem um caminho mais longo ao perceber que a passageira é turista. Por isso, é interessante acompanhar o trajeto pelo mapa do celular e conferir o percurso com antecedência. Além do mais, é primordial perguntar o preço aproximado da viagem antes de entrar no carro. 

No caso dos motoristas de aplicativo, um gesto importante é verificar se a corrida foi efetivamente encerrada após o fim do percurso, para evitar cobranças adicionais.

Em ambos os casos, é recomendável à turista:

  • Simular, ao entrar no veículo, uma ligação para passar a mensagem de que tem alguém à sua espera; e
  • Evitar comentar com o taxista que é a primeira vez na cidade.

No transporte público, há também alguns cuidados. Um deles é não ficar sozinha em ônibus ou vagões de metrô e trem. 

Sair sempre com o celular

Em qualquer tipo de viagem, o aparelho celular é um item essencial. Com ele, é possível fazer pesquisas na internet de trajetos, chamar um táxi, solicitar ajuda de alguma autoridade da cidade, entre outras atividades primordiais em meio a imprevistos.

Além do mais, outro objeto que não pode faltar na bolsa é o carregador, bem como um papel com a anotação do telefone do hotel em que a mulher está hospedada. Ter um plano móvel com boa cobertura na região da viagem é outro fator a se considerar. 

Pesquise muito sobre o destino com antecedência

Existe uma lógica no contexto do turismo: quanto mais informações a pessoa reunir sobre o destino, mais segura, tranquila e produtiva tende a ser a viagem dela. 

Métodos práticos para obter informações qualitativas a respeito das cidades e roteiros é conversar com quem já viajou antes, ler depoimentos disponíveis na internet e analisar comentários nas plataformas de avaliações.

Além disso, é válido consultar blogs de viagem e acompanhar páginas de viajantes nas redes sociais para captar dicas que farão toda a diferença na hora da aventura.

Informações que não podem faltar na pesquisa:

  • Alternativas e horários de transporte até o hotel;
  • Mapa do percurso entre o aeroporto e o hotel;
  • Horário do check-in;
  • Tours, atrações locais, preços, compra de ingressos e pacotes disponíveis de forma antecipada;
  • Palavras e expressões básicas para se comunicar no idioma local, no caso de uma viagem internacional, como “bom dia”, “obrigada”, “com licença”, “desculpe”, “por favor”, entre outras.

Trata-se de um conjunto de dicas e boas práticas que ajudam muito a mulher a curtir a viagem com mais segurança e aproveitar melhor a experiência de se aventurar sozinha. Imprevistos podem acontecer, mas quando a turista está preparada, as soluções são sempre mais acessíveis e seguras.