Casa de repouso cria planejamento para combater as sequelas pós-covid em idosos

Idosos recuperados da Covid-19 têm alta incidência de sequelas, principalmente o declínio da capacidade cognitiva, como quadros de demência avançados com maior perda de memória, atenção e concentração. Segundo Mayara Martins, terapeuta ocupacional da casa de repouso D´Pádua Residencial Senior, um ambiente com profissionais capacitados e uma reabilitação ou estimulação preventiva, são de alto impacto para minimizar esses danos causados pelo vírus.

Ao longo dos anos a estimulação cognitiva tem apresentado excelentes resultados em pessoas de qualquer idade, mas também tem contribuído muito de forma positiva para os idosos. A equipe médica do D´Pádua Residencial faz rastreio cognitivo com testes padronizados em cada idoso, para compreender quais são as funções cerebrais que estão preservadas e quais foram prejudicadas pós-covid. A partir dos resultados, é elaborado um plano de ação que promova a reabilitação das habilidades que estão em declínio e a potencialização daquelas que estão conservadas, para que juntas refletem na melhor autonomia e independência possível.

“Estrategicamente, os grupos terapêuticos colocam em todas as atividades elementos que tragam a ativação da cognição para que reverbere no restante da rotina dos idosos. Um grande benefício são os exercícios, que auxiliam o idoso a conseguir manter sua questão orgânica funcionando de forma adequada o maior tempo possível, para que seja dado suporte a questões vitais e manter o avanço do declínio da forma mais lenta possível. Quando falamos de doenças neurodegenerativas, como as demências, a grande vantagem de ter um ambiente enriquecido, é que essas atividades promovem um fortalecimento cerebral e oportunidades de aprendizagens e socialização”, diz a terapeuta.

No residencial D’Pádua a estimulação cognitiva permeia em todas atividades, como na educação física, que faz o idoso memorizar e aplicar uma sequência de movimentos e coreografias. Na terapia ocupacional e psicomotricidade, que promove a tomada de decisões, para a escolha dos materiais, cores e técnicas que deseja usar. Nos jogos de atenção e de concentração, que estimulam a memória de curto e médio prazo, toda a parte de evocação de linguagem e semântica.  

Na psicologia fomenta-se a lembrança afetiva, com as histórias de vida com valorização biográfica, na fonoaudiologia é trabalhado a linguagem e a socialização, na fisioterapia a dupla tarefa permite graduar o exercício, favorecendo a reabilitação e por fim, na terapia com cães, gera-se a necessidade de memorizar comandos e fazer com que o animal os aplique.

Para mais informações acesse: www.dpaduaresidencial.com.br