Medo de tomar vacina é comum entre pessoas de todas as idades

Segundo a Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm), 40% dos adolescentes passam mal em procedimentos com agulhas.  Esse, assim como o sentimento de pânico e choro, são  sintomas de pessoas com aicmofobia, nome dado para a fobia de agulhas. Diferente do que muitos pensam, a aicmofobia não é frescura, mas sim uma patologia que pode ser minimizada ainda na infância, com medidas paliativas e muita conversa antes e no momento da vacinação.

“É muito importante enxergar a vacinação com mais tranquilidade e tentar reforçar sobre a importância da imunização, tentando gerar na criança uma consciência maior sobre a saúde e o bem-estar dela e de todos que a cercam”, explica a enfermeira especialista em vacinação da Clínica Vacinne, Kátia Oliveira. Ela explica que, caso seja feita uma má condução, a criança pode crescer com um trauma crescente, fazendo com que sinta ainda mais dificuldade em lidar com a situação da vacinação na vida adulta. “Vemos muitos jovens e adultos desmaiarem em procedimentos com agulhas, mas a síncope (perda temporária dos sentidos) não ocorre por causa da vacina,  isso é uma construção feita na infância, pela cultura do medo de injeções. Por isso é tão importante que pais ou cuidadores conduzam o procedimento com sabedoria”, afirma.

Kátia explica que algumas dicas podem ajudar muito na hora dos pais lidarem com a vacinação. “É importante diminuir o pavor com muita conversa e nunca colocar a vacina como uma punição. Além disso, opções que distraiam a criança são muito bem vindas. Aqui na clínica, por exemplo, nós oferecemos óculos de realidade virtual para tornar esse momento menos estressante. Os óculos funcionam como uma distração no momento de aplicação do imunizante, reduzindo muito a ansiedade e a percepção da dor. É bem interessante, pois com essa tecnologia, a criança pode escolher o filme ou desenho de sua preferência e ficar mais tranquila na hora da aplicação. Os óculos podem ser usados também por adultos que apresentam fobia de agulhas”, finaliza.