Conheça a história do famoso queijo porungo

Palmeira, que fica a cerca de 40 km de Ponta Grossa, é a terra do queijo porungo, um queijinho cheio de tradição e história. 

Os italianos foram os responsáveis por trazer a receita do queijo porungo para Palmeira no final do século 19. Um negócio familiar, como o da família Baptista, que carrega uma história centenária cheia de orgulho. A receita passou por gerações e em 1939, a família abriu a primeira queijaria e começou a produzir e comercializar o queijo na cidade.

O queijo porungo agora busca um reconhecimento nacional: o selo de identificação geográfica. O apelido de “queijo porungo” vem do fruto porongo, que seco, é utilizado para confeccionar cuias de chimarrão e outros artesanatos. A família Baptista, produz cerca de 500 kg de queijo por mês, um trabalho de 24 horas para chegar nesse resultado. 

É com esse capricho que Palmeira pode se tornar a primeira cidade do Brasil a contar com dois produtos com selo de identificação geográfica de procedência, o selo IG. São eles: os queijos de Witmarsum e o queijo porungo de Palmeira.

Veja esta matéria no Destque Ponta Grossa Edição Completa de hoje (28):