Consequências psicológicas da halitose

Mau hálito, um verdadeiro incômodo que pode causar problemas bucais, emocionais e psicológicos para quem sofre deste mal. De acordo com dados da Associação Brasileira de Halitose (ABHA) três a cada 10 brasileiros sofrem com o mau odor bucal. A halitose como é conhecida oficialmente provoca depressão, ansiedade, dificuldade de relacionamento e insegurança. Entre os fatores que podem provocar o mau hálito estão a má alimentação, o estresse e até a falta de consumo diário de líquidos.


Para a Dra. Cláudia Gobor, especialista pelo MEC no tratamento da halitose, o mau hálito além de desencadear desarmonia na saúde bucal como um todo, é um incômodo para quem está ao redor, afeta a autoconfiança, a espontaneidade e pode até fazer com que a pessoa, que sofre do mal, se isole socialmente. “É importante ressaltar que muitos pacientes que chegam com queixas de mau hálito, geralmente estão saudáveis”, explica Gobor. Por esse motivo é importante que, percebendo alterações no hálito o paciente procure ajuda profissional capacitado em diagnosticar e tratar corretamente essa alteração, a fim de poder levar uma vida normal no seu dia a dia.