Cuidado: tem pirata de olho na sua empresa

A lista de piratas da ficção é grande e recheada com figuras fora-da-lei que saqueiam grandes riquezas. Mas não apenas em filmes e livros, antes mesmo da era de ouro da pirataria, séculos 17 e 18, eles já estavam presentes em oceanos do mundo real. Nem todos com uma perna de pau, olho de vidro ou a cara de malvado, porém, definitivamente à espreita da oportunidade certa para aplicar um golpe. Nos dias de hoje, eles podem parecer uma pessoa comum ou, pior, um profissional apto a resolver os problemas de uma empresa. Quando, sem o menor escrúpulo, roubam informações importantes e vendem serviços piratas.

O mundo corporativo é um alvo cada vez mais comum de piratas modernos. É dentro de pequenas e médias empresas, principalmente, que criminosos encontram um ambiente propício para ataques cibernéticos. Isso porque, em alguns casos, estão desprovidas de uma infraestrutura de cibersegurança adequada, muitas vezes sem uma equipe habilitada para cuidar da proteção dos dados. Mas estão enganados os grandes empresários que pensam que sua empresa está a salvo. Quando esses piratas querem navegar por organizações maiores e mais seguras, eles vão até fornecedores e, até mesmo, colaboradores da empresa.

As invasões virtuais ou físicas são realizadas e podem danificar a empresa. Se existisse um manual de como estar protegido contra esses piratas, um dos primeiros passos seria selecionar parceiros e funcionários confiáveis. Entender o fator humano e incentivar o tipo de conduta que manterá os dados e sistemas seguros é um grande feito para a segurança da empresa. O próximo ponto importante está na atenção aos possíveis golpistas.

O esforço pela segurança deve ser responsabilidade de toda a empresa. Os colaboradores podem, por meio do próprio comportamento, facilitar esses crimes ou evitá-los. Para isso, a organização deve informar ao máximo as pessoas que integram o time, dando incentivo para reportarem qualquer suspeita e analisarem todas as comunicações que recebem.

Por Márcio Viana.