De carros a serviços, solteiros são os que mais procuram consórcio no princípio de 2022

30% dos novos cotistas da BR Consórcios têm entre 30 e 40 anos, seguidos por aqueles de 20 a 30 anos (25%), e dos 40 aos 50, com 23%

Ausência de juros, a possibilidade da aquisição planejada de um bem com taxas acessíveis e com poder de compra à vista, são alguns dos fatores que têm atraído cada vez mais os brasileiros ao sistema de consórcio, que completa seis décadas em 2022. E os solteiros, homens e mulheres, definitivamente, adotaram a modalidade para ter ou trocar o seu automóvel, adquirir seu primeiro imóvel ou fazer dele um investimento, e ainda ter a festa do casamento ou a viagem dos sonhos realizado.

Na BR Consórcios (www.brconsorcios.com.br), que reúne as marcas União, Araucária, Santa Emília, Lyscar, Mapfre e Rede Lojacorr, os solteiros são os grandes destaques das vendas em fevereiro em todas as modalidades. No consórcio de automóveis, eles representam 56% dos novos consorciados, enquanto são 50% em imóveis. No consórcio de motocicletas, ficam com 63% da fatia de novas cotas comercializadas e 60% na modalidade de serviços, que incluem festas, eventos, viagens, procedimentos médicos e estéticos, e pequenas reformas.

Trinta porcento dos novos cotistas da BR Consórcios estão na faixa dos 30 aos 40 anos de idade, seguidos por aqueles de 20 a 30 anos, com 25%, e dos 40 aos 50, com 23%. “Os solteiros estão preocupados em iniciar cada vez mais cedo um planejamento para suas conquistas e o consórcio permite essa organização. O sistema possibilita que eles assumam compromissos com prestações que cabem em seus bolsos”, afirma José Roberto Luppi, diretor Comercial da BR Consórcios.

De acordo com Luppi, os brasileiros viram os preços subirem e entenderam que não é a hora de comprar, mas de planejar a futura aquisição. Ainda mais em tempos de constantes aumentos da taxa Selic, que acabou de saltar de 10,75% em fevereiro para 11,75% neste mês de março, após nova intervenção do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central. “Por isso o consórcio é a melhor maneira para o brasileiro conquistar ou ampliar seu patrimônio de forma econômica, segura e disciplinada”, argumenta o executivo.

Bom desempenho nas associadas – Por marcas, a BR Consórcios também registrou um bom desempenho em fevereiro. O Consórcio Araucária, com forte atuação no Sul do Brasil, obteve um avanço de 31% nas vendas de automóveis, com destaque para as cidades paranaenses de Cascavel (41%) e Maringá (94%). Já o Consórcio Santa Emília, presente especialmente no interior de São Paulo, registrou um crescimento de 118% nas vendas gerais. Pela ordem, as vendas foram ampliadas em 600% em serviços, 220% em imóveis, 20% em automóveis e 12% em motocicletas.

Por fim, as vendas gerais do Consórcio União, que é referência no Paraná, aumentaram 3% no período. Consórcio de automóveis é o produto que recebe destaque especial, com total de 23% das vendas. A cidade de Bauru, no interior de São Paulo, apresenta saldo positivo de 60% nessa categoria e Maringá, no Paraná, 72%.

O sistema de consórcio é composto de taxa de administração (custo operacional para a administração dos grupos, formação de assembleias e entrega de bens), fundo de reserva (utilizado para suprir a inadimplência do grupo) e o seguro de vida (que cobre morte ou invalidez permanente do consorciado). As empresas associadas à BR Consórcios trabalham com o prazo máximo de 180 meses para imóveis e até 108 meses para automóveis.