Decoração Floral: confira quatro dicas para levar frescor primaveril para casa

Pintura artística floral e papel de parede

Primavera é a estação das cores e dos perfumes e nada mais interessante que recriar esse clima também dentro de casa. “Uma ideia de fácil aplicação e que repagina qualquer ambiente é o papel de parede. Para deixar cômodos mais aconchegantes e com o toque de cor que pede a primavera, sugiro os desenhos florais e tropicais, com folhagens e árvores floridas como flor de cerejeira e bougainvilles”, exemplifica a arquiteta do Grupo A.Yoshii, Lorena Santos.

Com ampla variedade de modelos, fácil aplicação e possibilidade de remodelar o cômodo quando desejar, o papel de parede vem chamando a atenção pelo potencial de mudar qualquer ambiente. Versátil, o item decorativo ainda pode harmonizar com revestimentos e decoração do ambiente, representando a personalidade do morador. “O papel de parede floral, colorido e alegre exprime brasilidade. Além das flores, abuse do verde e frutas na mesma sintonia. A protagonista da primavera é a cor!”, complementa a arquiteta.

No apartamento decorado do empreendimento Prestige, localizado em Campinas (SP), o uso da pintura feita exclusivamente por artistas campineiros deu um toque especial ao quarto da menina. “Aqui, a ideia é fugir das cores monocromáticas, comumente vistas nas paredes, e apostar nos desenhos. Nesse caso, a pintura deu charme ao cômodo, imprimindo um ar primaveril, romântico e trazendo essa sensação de bem-estar. Além de poder personalizar sua parede com essas pinturas, existem ainda diversos papéis de parede prontos e de fácil aplicação, que também é sempre uma boa opção”, diz.

Plantas ornamentais, escultóricas e pomares

As plantas escultóricas e ornamentais, como o bambu mossô, cycas, phoenix, suculentas, lavandas, pacová, espada de São Jorge anã transformam o paisagismo de qualquer casa. O conceito tem sido revisitado e vem ganhando novos formatos, como pomares compartilhados nas áreas comuns de prédios ou nas varandas de apartamentos, gardens e coberturas.

“No Quintessence, que está sendo construído no bairro Batel, em Curitiba (PR), esse conjunto de espécies transforma a área comum da piscina em um verdadeiro jardim do campo. A presença da natureza, além de decorar, traz efeitos benéficos à saúde, remetendo a serenidade, tranquilidade e qualidade de vida”, assegura.

Além das plantas, outra tendência da estação são as árvores frutíferas que podem ser utilizadas para compor as áreas comuns. “Muitos projetos já contam, inclusive com área própria de pomar. Se antes, ter uma árvore frutífera em casa era algo complicado porque demandava um espaço ou local maior, agora, a realidade mudou. Diversas espécies, como amoreira, jabuticabeira, romã e pitanga, já podem ser cultivadas em varandas, dentro de vasos. Além de decorar e perfumar o ambiente, elas resgatam memórias afetivas e promovem uma experiência sensorial, já que essas espécies costumam atrair polinizadores como pássaros, borboletas e abelhas”, explica.

Uma dica importante é verificar a espécie de árvore frutífera que pode ser plantada em vaso, pois algumas têm raízes profundas e precisam de mais espaço para se desenvolver. “A posição do sol também é um fator que precisa ser considerada, então, antes de comprar a planta, procure se informar com o produtor, jardineiro ou paisagista sobre a quantidade de sol que ela necessita, para fazer a escolha certa do local onde ficará”, explica a arquiteta.

Parede verde e design biofílico

Por mais clichê que possa parecer, a decoração de primavera tem como principal característica o uso de folhagens, como os jardins verticais ou paredes de biofilia, que podem ser colocadas em diversos cômodos, desde a varanda gourmet até o banheiro. “No caso do decorado do Atmosphere, em Maringá (PR), a parede com samambaias, ao lado da banheira, compõe o ambiente com leveza e originalidade”, conta.

Essa é uma tendência que vem se destacando dentro dos projetos arquitetônicos de empreendimentos urbanos. O conceito tem sido revisitado e vem ganhando novos formatos tanto nas fachadas dos empreendimentos como na parte interna das casas e em ambientes que vão além das varandas. “Essa arquitetura biofílica pode ser composta por samambaias, orquídeas, lianas, bromélias. Elas inspiram calma, relaxamento e conforto emocional, conectando os moradores com a natureza. Hoje em dia, é possível encontrar no mercado soluções de irrigação automática ou ainda a solução do jardim vertical com folhagens preservadas, que garantem fácil manutenção, uma vez que não precisam de irrigação”, sugere.

De forma prática, o jardim vertical precisa de alguns cuidados antes da montagem. Inicialmente, escolha plantas de pequeno porte que não sejam muito pesadas. As espécies com raízes superficiais são as mais indicadas, devido ao espaço limitado. Ainda, opte por plantas com crescimento lento, para melhor organização e manutenção da parede verde. Por fim, a estrutura da parede vertical pode ser feita com madeiras, estruturas metálicas e prateleiras.

Objetos sustentáveis e naturais

Para garantir um ambiente aconchegante, sem sobrecarregar os espaços com muitas informações, outra aposta interessante é aplicar a tendência naturalista orgânica na decoração de casa, como no exemplo do decorado Lakeside, empreendimento já entregue pela construtora em Londrina (PR). Mobiliários feitos ou revestidos em madeira, em tons crus, claros, como o nude, areia, bege e até o branco ajudam a trazer leveza e tranquilidade ao ambiente.

“Itens em madeira ou feitos em fibras naturais como juta, vime ou linho, utilização de pedras brutas, objetos de decoração com cores vibrantes como almofadas ou quadros com temáticas de natureza são excelentes opções para ‘vestir’ itens da casa. Essas dicas criam uma atmosfera de proximidade com a natureza, transformando a casa em um refúgio natural, com originalidade e renovação típica da primavera”, conta.