Em busca da beleza orgânica e sustentável

Diferentes setores da economia têm se engajado na preservação do meio ambiente, por meio de práticas conscientes que representem baixo consumo de recursos naturais e geração de bem-estar e segurança à sociedade. A indústria de cosméticos ganhou maior destaque nesse segmento, principalmente depois da pandemia, apresentando estratégias inovadoras no lançamento de produtos de qualidade, feitos a partir de matérias-primas associadas à sustentabilidade.

O fenômeno ganhou o nome de clean beauty, um conceito transformador, que valoriza os produtos naturais ao invés dos industrializados. Os produtos naturais, por serem concentrados, rendem mais e têm boa relação custo-benefício para quem compra. Além disso, são livres de química pesada, não passam por testes em animais e dispõem de embalagens recicláveis (ou biodegradáveis) e refis, economizando-se, assim, energia elétrica e água em sua produção.

De acordo com o Caderno de Tendências 2019-2020, levantamento feito pela Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos (Abihpec) e pelo Sebrae, os cosméticos de origem natural crescem entre 8% e 25% ao ano em todo o mundo. O estudo mostra ainda que 41% dos brasileiros demonstram interesse em produtos com ingredientes de origem natural. 

Os produtos naturais atraem também os veganos, um público que cresce expressivamente no mercado. Segundo pesquisa do Ibope (2018), sete milhões de brasileiros declaram não consumir nada de origem animal. A Sociedade Vegetariana Brasileira (SVB) esclarece que o mercado de cosméticos possui 189 produtos com selo vegano em sua lista, tendo aumentado essa quantidade em 16% entre 2019 e 2020 no Brasil.

A SOL Copérnico, empresa de energia solar com presença em 18 estados e conectada a 17 distribuidoras espalhadas pelo país, tem como pilar central a preocupação com o uso responsável dos recursos naturais e a preservação do meio ambiente. Para colaborar com o equilíbrio do ecossistema e  com o bem-estar individual e da sociedade, a SOL selecionou dicas de cuidados com a beleza, que não impactam negativamente a natureza.

10 dicas de beleza sustentável

– Observe na compra de produtos orgânicos e naturais se eles apresentam na embalagem o selo de certificação oficial.

– Para não comprar gato por lebre, leia sempre os rótulos com atenção. Vários produtos, como os desodorantes, apresentam alumínio e petróleo em suas fórmulas, o que, em um uso contínuo a longo prazo, pode acarretar risco ao organismo. Há à disposição no mercado uma série de cosméticos sólidos, em bastão: batom, blush, base, sombra. São multifuncionais, mais duráveis, com bom custo-benefício e menos nocivos ao ecossistema.

– Prefira produtos em embalagens recicláveis ou que possibilitem o uso de refil. Boa parte das lojas físicas também já recolhe os produtos plásticos ou as embalagens de papel para reciclagem.

– Sabonetes em barra são menos poluentes e também mais baratos. 

– Dê preferência às loções com aromas naturais, que não precisem de componentes químicos para a fixação do perfume. 

– Verifique, antes da compra, se a indústria responsável pelo produto ainda faz testes em animais. 

– Cheque se a empresa participa de ações sociais ou se ela compra matéria-prima de cooperativas ou comunidades, ajudando assim o desenvolvimento da bioeconomia.

– Opte por tinturas naturais para os cabelos, que não tenham amônia nem outros componentes tóxicos prejudiciais à saúde e ao meio ambiente.

– Para o skincare, escolha produtos que tenham a ver com seu tipo e cor de pele. Usar produtos inadequados pode ser fonte de futuros problemas na pele, como o surgimento de acnes ou o desenvolvimento de alergias. 

  • Vale lembrar que gestantes devem ter cuidado redobrado com o uso de qualquer produto. O recomendável é procurar a opinião de um médico.