Hábitos que todos os gênios têm em comum

É comum ouvir que, para ficar mais inteligente e alcançar a genialidade, basta ler muitos livros, praticar outro idioma ou exercitar o cérebro com jogos que exijam reflexão e pensamentos. Estudos revelam que, de fato, essas atividades podem estimular a cognição. No entanto, aqueles que são considerados gênios, praticam os mais diversos hábitos que podem facilitar esses processos.

Renato Alves, escritor, pesquisador, palestrante internacional e o primeiro a receber o título de Melhor Memória do Brasil, revela que Mark Zuckerberg é um exemplo disso. O criador do Facebook costuma limitar suas escolhas diárias, focando no que realmente importa. “O cérebro consome, em média, 25% da energia gasta por uma pessoa. Esse consumo se deve ao gerenciamento e processamento das várias decisões que devem ser tomadas por uma pessoa. Portanto, incluir decisões irrelevantes no seu cotidiano só vai te fazer gastar energia com coisas que não são importantes. Limitar as distrações e tomadas de decisões diárias é um meio prático de garantir rendimento, entendimento e produtividade em atividades que realmente aumentam o intelecto e agregam valor à vida”, relata.

O pesquisador acredita que é necessário que haja uma mudança em relação a como lidar com os fracassos. “Thomas Edison, por exemplo, registrou mais de mil patentes em seu nome e, dentre suas muitas invenções, como a lâmpada, o fonógrafo, a câmera de cinema e a embalagem a vácuo, teve diversos fracassos. O próprio inventor afirmava que falhou em mais de 10 mil experimentos, ou seja, apenas 10% de todo o seu trabalho realmente vingou. As falhas fazem parte da vida, mas elas não são permanentes. Thomas Edison tinha um mindset de crescimento e enxergava as adversidades como uma oportunidade de evoluir e crescer. Com esse tipo de mentalidade, é possível ter combustível o suficiente para ir além de suas próprias limitações e encontrar o caminho para a genialidade”, pontua.

Estudar em abundância sobre os mais diversos assuntos também é um hábito de grande valor. “Pode parecer uma dica simples, mas os maiores gênios que já pisaram em nosso mundo possuem conhecimentos diversos e um exemplo disso é Leonardo Da Vinci. Responsável por algumas das obras mais icônicas do mundo, Da Vinci não só pintava, como também se aventurava por outras áreas como a mecânica, aeronáutica e até mesmo a anatomia. Quanto mais aprendemos sobre diversos assuntos e descobrimos como relacioná-los, mais inteligente nos tornamos. A versatilidade faz com que as pessoas saiam do óbvio e mergulhem no mais profundo conhecimento”, declara Renato Alves.

De acordo com o escritor, banhos gelados podem trazer uma amplitude ainda maior aos pensamentos. “A água fria ajuda a despertar a mente e deixá-la mais alerta, pois aumenta o nível de adrenalina no corpo. Além disso, um bom banho gelado também faz bem para a pele, para o cabelo, ajuda a amenizar as dores inflamatórias e até mesmo ajuda a reduzir o estresse e a ansiedade”, revela.

Para o pesquisador, o hábito praticado por gênios que se mostra o mais importante é simplesmente ser uma pessoa bem estruturada. “Uma pessoa estruturada é organizada, disposta e sabe quais são os elementos essenciais para alcançar o sucesso. Essa estruturação pode trazer mais inteligência e faz com que as pessoas se aproximem cada vez mais dos seus objetivos”, finaliza.