Levantamento aponta que 80% dos deliverys de comida não tem entregadores fixos

Lanche frio, grosseria na entrega, prazo não cumprido, faltas no trabalho. A finalização do serviço iniciado com a vontade de experimentar determinado alimento pode fracassar se o entregador não fizer a sua parte. Assim, a logística para delivery pode ser determinante para medir a satisfação – ou insatisfação – do cliente nos rankings de avaliação, colocando em xeque a confiabilidade do aplicativo.

“A logística é uma grande dor dos estabelecimentos. A grande maioria, mais de 80%, não possui entregadores fixos contratados”, afirma Juliano Matias, CEO da Appétit Delivery, aplicativo de comida focado em cidades interioranas, com até 150 mil habitantes.

Desde março, após diagnosticar o problema, a franquia “desdobrou” a venda de seu negócio. Assim, os novos franqueados podem optar por abrir uma unidade da Appétit Delivery ou, quem já trabalha com a modalidade de delivery (Appétit ou outras marcas), pode adquirir apenas a logística da plataforma, resolvendo o problema. O modelo corrige falhas nos atuais sistemas e, também, fortalece o setor que precisou crescer, especialmente após o boom do delivery impulsionado pela pandemia da Covid-19. Pedir comida pelo menos uma vez por semana se tornou prática para mais de 60% dos brasileiros no auge da crise sanitária, segundo dados divulgados pela Agência Brasil, em dezembro passado.

Os números mostram que tem dado certo. Para alguns franqueados, a parte logística já representa quase metade da receita total. “A adesão está muito boa e os resultados são animadores, pois, além de fazer as entregas do Appétit Delivery, os estabelecimentos podem chamar os entregadores pela plataforma para pedidos do WhatsApp, telefone e até de outros aplicativos”, assinala Juliano.

Quando o estabelecimento adere ao serviço de logística, ele tem acesso automaticamente a todo o time e não mais a apenas o seu freelancer. “O serviço de logística é o mais simples possível para o estabelecimento. Se for um pedido do próprio Appétit Delivery, ele consegue com apenas um clique solicitar um entregador. Se for um pedido de telefone, whats ou outros aplicativos, o estabelecimento apenas informa o endereço que precisa entregar e já solicita um entregador da plataforma. Tudo isso é feito de maneira rápida e intuitiva”, explica.

Assim, ao mesmo tempo que possibilita a distribuição de outros produtos, a marca cresce no território nacional. A Appétit Delivery encerra o primeiro semestre de 2022 estando presente em 105 cidades, lançando captação de novos franqueados e negociando a abertura de novas unidades em outros dez municípios. Pelo custo menor e pelas opções de funcionalidades, a aposta da marca é por resultados rápidos de expansão.