O que fazer para mudar de carreira e se tornar um profissional de tecnologia

Com o desemprego em alta e a falta de profissionais para atuar no mercado de tecnologia, muitas pessoas pensam em mudar de carreira para ingressar nesta área e potencializar as possibilidades de contratação. Afinal, segundo pesquisa da Associação das Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) e de Tecnologias Digitais (Brasscom) 421 mil postos de trabalho serão criados no setor no país até 2024. No entanto, os cursos superiores da área formam menos de 50 mil profissionais anualmente. 

Ainda de acordo com um estudo do McKinsey Global Institute, aproximadamente 375 milhões de profissionais – ou 14% da força de trabalho global – podem precisar trocar de ocupação até 2030, em consequência da disrupção provocada pela digitalização, automação e inteligência artificial no mundo do trabalho.

Como em todas grandes mudanças, surgem questionamentos para quem quer se qualificar para uma troca de carreira (o que tem sido chamado de reskilling pelos profissionais de RH). 

Iza Herklotz, Chief People Officer da NAVA Technology for Business, fala como direcionar esse processo para aumentar a chance de sucesso de quem busca novos desafios.

Analise sua situação atual – Antes de tomar uma decisão que vai afetar drasticamente sua vida, é importante fazer uma reflexão. As pessoas têm diferentes motivações para mudar de carreira, desde falta de oportunidades e preocupações financeiras até dificuldades para promoção no emprego atual ou insatisfação com a atividade. Cada setor tem suas peculiaridades, assim como cada profissional, por isso é importante avaliar se o desejo de mudar está bem fundamentado antes de fazer qualquer movimento. 

Acredite em seu potencial – Segundo Iza, o mercado de TI está aberto para diversos perfis, e é um dos mais inclusivos sob a ótica de formação e histórico profissional. Dependendo da posição, em caso mais iniciais de carreira, basta ter a qualificação adequada e atitude de aprendizado. Portanto, se a pessoa hesita em trocar de área por não ter experiências anteriores ou ter mais de 40 anos, por exemplo, vale repensar. 

Tenha disponibilidade para estudar e aprender – Embora uma formação universitária seja importante, muitos cargos atualmente à disposição necessitam apenas de cursos técnicos que podem variar em termos de tempo e conteúdo.  Em pouco tempo o candidato a profissional de TI consegue aprender e estar preparado para iniciar novos desafios. Há boas alternativas de cursos disponíveis no mercado, algumas até gratuitas ou a preços competitivos. Além disso, algumas ONGs fazem um trabalho sério e muito competente para capacitar profissionais para a área de TI.  A área de TI evolui rapidamente e o profissional que ingressa nela tem que ter disponibilidade para o life long learning, ou seja, estar preparado para estudar continuamente. O aprendizado constante é uma condição de existência em várias profissões, e não é diferente no setor de tecnologia. É essencial que os profissionais estejam sempre atualizados. 

Pesquise as áreas de TI – O mercado de TI é muito vasto e pode ser difícil escolher uma de suas especialidades. Há várias linguagens de programação- como Python e Javascript, bastante utilizadas no desenvolvimento web, além de carreiras em dados, redes, desenvolvimento de aplicativos e segurança de informação, só para citar algumas delas. Pode ser interessante procurar um curso mais genérico primeiro, que apresente cada uma das áreas, e depois se aprofundar em uma delas. Pesquisar sobre essas especialidades, seus nichos e particularidades pode evitar frustrações no futuro. 

Amplie seu networking e seu horizontes – importante também conhecer e se conectar com pessoas que hoje estão atuando na área de TI para entender suas perspectivas, seus pontos de vista e forma de atuação no mercado. Leia sobre as últimas tendências em Tecnologia e como elas estão conectadas à evolução das empresas, da sociedade e do mundo em geral. Isso gera uma visão mais completa de sua própria atuação.