Opções baratas e nutritivas para o seu almoço

O arroz e feijão chegaram a subir 69,5% o que chegou a gerar um receio em toda a população por fazer parte da base das refeições diárias da maioria dos brasileiros

A alta do dólar tem pressionado indústrias de alimentos. A chamada “mistura” sofreu aumento de 11,4% para a proteína de frango, incluindo inclusive o ovo que teve uma alta de 9,5% mais caro. A carne suína subiu 30% e a bovina, em específico o contrafilé, teve alta de 7,8%, de acordo com o IBGE. Com o preço do saco de 5 quilos de arroz custando 15 reais no começo do ano e terminando a30 reais em alguns lugares.

As proteínas são nutrientes necessários para o organismo produzir partes essenciais do corpo, como músculos, hormônios, tecidos, pele e cabelo. São encontradas em alimentos como carnes, peixes, ovos e derivados do leite, além de existir em alimentos de origem vegetal, como soja, feijão, amendoim, gergelim e lentilha. Uma dieta normal em proteínas é de até 1g de proteína por quilo de peso por dia.

Como substituir a carne, já que ela é um alimento rico em proteínas de alto valor biológico, ferro, zinco e vitaminas do complexo b, especialmente a vitamina b12. Leguminosas, como grão-de-bico, todos os tipos de feijões, ervilha, lentilha, soja e favas: são ótimas fontes de proteína vegetal, vitaminas e minerais, como o ferro. Cereais integrais, como o arroz, aveia, amaranto, trigo, quinoa e centeio.

Veja mais detalhes na reportagem completa do Destaque Ponta Grossa e região desta quinta-feira (04):