Vídeo mostra cadela passando por áreas de aeroporto antes de sumir

Imagens gravadas por câmeras de monitoramento do Aeroporto Internacional de São Paulo, em Guarulhos, mostram a cachorrinha Pandora passando sem supervisão por diferentes áreas do local, incluindo o Terminal de Cargas (Teca) e um gramado próximo a uma guarita, antes de desaparecer. O animal escapou da caixa de transporte durante processo de conexão no aeroporto, quando o dono, Reinaldo Junior, viajava com ela de Recife para Navegantes (SC), em 15 de dezembro.

O vídeo em que Pandora aparece andando sozinha pelo local foram divulgados por Reinaldo no domingo (2). Neles, é possível ver ainda que a cachorrinha caminha próximo a funcionários do GRU que aparentam notá-lo, mas não agem para pará-la. “Minha filha passa assustada dentro do maior aeroporto [do Brasil] sem supervisão nenhuma, absurdo e [a Gol] me tem a coragem de me dizer que não existe imagens!!! Então o que seria isso!? Eu fiz montagem!?”, escreveu o dono de Pandora no Instagram, ao compartilhar as imagens.

Também na publicação, pontuou: “Só irei embora de São Paulo com minha filha Pandora. Essas imagens nem o Aeroporto de Guarulhos nem vocês da companhia aérea Gol me forneceram, até porque vocês disseram que não tinha imagens!!!”. Em outra declaração na rede social, o dono de Pandora afirma que a Gol lhe informou que bancará mais sua estadia e da mãe em um hotel, como vinha fazendo desde o dia do desaparecimento do animal.

Em nota, a companhia aérea disse que lamenta o desaparecimento de Pandora e, para tentar encontrá-la, além de mobilizar voluntários da Gol, contratou duas empresas; inicialmente, a Busca Pet usou cães farejadores, mas perdeu os rastros que possibilitavam o farejamento e, depois, a Alerta Pet afixou cartazes e divulgou o caso nas redes sociais.

A nota acrescenta que “todos os custos com alimentação, hospedagem em hotel e auxílio para as locomoções necessárias por toda a região do Cliente e de sua mãe foram pagos pela GOL entre 15/12 e 3/1”. “Apoio psicológico também foi oferecido sem custos ao Cliente, mas ele não o aceitou”. Reinaldo acionou, nesta segunda-feira (3), advogados para auxiliá-lo no caso.

Veja o comunicado na íntegra:

A GOL nunca deixou de prestar assistência nas buscas da cadela Pandora desde 15 de dezembro, data em que ela escapou da caixa de transporte durante processo de conexão em Guarulhos, depois de embarque em Recife (PE) e com destino a Navegantes (SC).
A Companhia lamenta muito o incidente e, desde o ocorrido, adotou uma série de medidas na tentativa de encontrá-la e devolvê-la ao dono:
1) Em um primeiro momento, contratou a “Busca Pet”, empresa que conta com cães farejadores, que atuou incansavelmente desde o primeiro dia até perder os rastros que permitiam o farejamento de Pandora.
2) A Companhia também contratou a empresa “Alerta Pet”, que presta serviços de divulgação de casos de cães perdidos. Foi feita a afixação de cartazes ao longo da área em que Pandora poderia ter escapado, bem como nas redes sociais, em páginas de busca de pets e por anúncios feitos por geolocalização para Guarulhos e região – trabalho que permanece ativado pela GOL.
3) A GOL também mobilizou voluntários da própria empresa nessa busca.
4) A Companhia possui ainda um grupo de trabalho permanente envolvido em estudos e fóruns que possam resultar em melhorias contínuas de processos, normas e protocolos, e se compromete em revisar todas as etapas que envolvem o transporte de pets a fim de aprimorá-los, evitando que situações como essa jamais voltem a acontecer.
Todos os custos com alimentação, hospedagem em hotel e auxílio para as locomoções necessárias por toda a região do Cliente e de sua mãe foram pagos pela GOL entre 15/12 e 3/1. Apoio psicológico também foi oferecido sem custos ao Cliente, mas ele não o aceitou.
Nesta segunda-feira (3/1), o Cliente acionou advogados para auxiliá-lo e, a partir desta data, a GOL estará à disposição do Cliente por meio do seu Departamento Jurídico para as tratativas necessárias.

Informações de SBT News