Alimentação fora do lar mantém queda mesmo com volta das atividades presenciais

Segundo levantamento realizado pela Gallunion, apenas 33% voltaram ao trabalho 100% presencial, a maioria dos brasileiros continua trabalhando em homeoffice ou modelo híbrido. Foram entrevistados 1.103 participantes.

Entre os que continuam trabalhando de casa, 78% disseram que dão preferência a comer comida feita na própria residência. Em segundo lugar, aparecem os pedidos via delivery, com 48%, seguidos pela comida comprada pronta, com 37%. Outros 19% buscam a comida pronta em locais próximos e 18% saem para se sentar e comer presencialmente.

Entre os participantes que voltaram a trabalhar presencialmente, 60% optaram por levar comida de casa, 33% preferem pedir delivery e 30% têm o hábito de sair para comer. 

Outro destaque da pesquisa é o aumento da preferência por comida saudável, que vem crescendo e registrou o maior índice comparativo desde 2020, com 30% das respostas. 50% dos entrevistados afirmam que dão preferência à alimentação mais equilibrada nas refeições em família e no dia a dia.

Menos comida pronta, mais ingredientes frescos

A pesquisa da Gallunion vai ao encontro das informações divulgadas pelo Report Foodtech 2022, estudo inédito elaborado pela Outcast Ventures em parceria com o Distrito. O levantamento apresenta um mapeamento sobre o setor de foodtechs no Brasil, analisando sete categorias (Super Foods, Food Delivery, Smart Kitchen & Restaurant Tech, Farm-to-table, Food Safety & Traceability, Consumer Service e Waste Management), além do histórico de investimentos, tendências de crescimento, principais modelos de negócio e panorama de empregabilidade.

Uma das categorias analisadas, Farm-to-table, apresenta um interessante avanço nos números. Este é um movimento que tem como objetivo aproximar o produtor do consumidor, diminuindo a quantidade de intermediários no processo e aumentando a eficiência da cadeia de suprimentos, oferecendo alimentos e ingredientes realmente frescos aos consumidores.

“Levar alimento extremamente fresco do produtor para a mesa do consumidor no menor prazo possível faz a diferença para uma alimentação mais equilibrada, sobretudo em um momento em que o consumidor tem preferido se alimentar em casa e se preocupado com a origem do que come”, explica Einat Eisler Carasso, CEO do e-commerce Freshmania, especializado na venda de leite fresco e entrega em menos de 48 horas do momento da produção até a casa do cliente, seguindo o conceito “da fazenda direto para sua mesa”.  “Nós acreditamos que a experiência de se consumir um alimento próximo à produção é outra”. 

Os resultados mostram que a pandemia e o aumento dos preços dos alimentos no Brasil impactaram de forma direta o segmento de alimentação, fazendo com que o brasileiro busque alternativas mais econômicas e equilibradas.