Ação alerta sobre diagnóstico e tratamento precoces de hepatites virais

De acordo com dados mais recentes divulgados pelo Ministério da Saúde, há 718.651 casos de hepatites virais registrados no Brasil, sendo 38, 9% referente a hepatite C – a mais letal -, 36,8% casos de hepatite B, 23,4% de hepatite A e 0,6% de hepatite D. As hepatites B e C são as maiores causadoras de doença hepática crônica, cirrose hepática e câncer, e foram essas o alvo da ação realizada pelo Hospital São Vicente, no sábado (30/07), no Parque Barigui, em Curitiba.

O objetivo da ação foi alertar sobre as hepatites virais e fazer testagem, já que se estima que cerca de 1% da população tenha o vírus, mas, não saiba. “Se partimos do princípio da estimativa de quem não sabe que tem a doença, são mais de 1 milhão de pessoas com o vírus”, alerta a Dra. Aline Moura Ferraz Pereira, hepatologista do Hospital São Vicente Curitiba.

Durante a ação foram realizados 694 testes. “Quem testou positivo recebeu orientação de nossos médicos hepatologistas. Agora essas pessoas precisarão passar por confirmação de diagnóstico, realizar outros exames e precisarão ser acompanhadas por um especialista”, explica a enfermeira Francieli Bisinelli Santana, gerente assistencial do Hospital São Vicente Curitiba.

Dra. Aline lembra que campanhas de utilidade pública ajudam a orientar e levar conhecimento à população. “Ações como essas são muito importantes para fazer o diagnóstico precoce, especialmente de pessoas que relatam que não têm sintoma nenhum. Muitas que testamos nem sabiam que existia esse vírus. Ou seja, fica evidente que falta difusão de informação dessa doença para a população em geral”, ressalta a hepatologista.

Pessoas que participaram da ação aprovaram a iniciativa. “Pelo que entendi, é uma doença silenciosa, então você não sabe que tem. A gente ouve falar, mas eu nunca tinha feito o teste. E também não lembro se já tomei a vacina. Acho super importante esse tipo de ação do hospital”, disse Sueli Borghi, engenheira química aposentada, que participou da testagem.

O aposentado Antônio Carlos Demario também participou e aprovou a ação: “Todo indivíduo deve se preocupar com sua saúde e vi essa ação do hospital como uma oportunidade para fazer o teste. Esse tipo de ação é muito importante”, considerou.