Festas de fim de ano pedem atenção para os riscos de intoxicações alimentares

O final do ano é o momento das grandes confraternizações, celebrações e reuniões com a família e amigos, mesas fartas e diversidade de alimentos.

Geralmente, com tantas opções de comidas, elas precisam ser preparadas com antecedência, muitas vezes 24 horas antes, principalmente quando se trata de Natal e Ano Novo. Mas, por trás de tantas opções, é preciso ficar atento às questões de saúde.

Dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), mostram que mais de 600 milhões de casos de intoxicações alimentares são registrados no mundo. Segundo o Ministério da Saúde, 13 mil pessoas por ano, sofrem intoxicações alimentares neste período. “Geralmente esses casos são registrados devido ao descuido no manuseio dos alimentos, em torno de 40% dessas situações são registradas com comidas cozidas em casa”, alertou a nutricionista credenciada da Paraná Clínicas, empresa do Grupo SulAmérica, Carolina Henequim (CRN-2804/PR).

E para que as festas não sejam interrompidas por emergências, a nutricionista alerta para alguns cuidados necessários desde o manuseio e preparação até a armazenagem das sobras. “Um dos maiores motivos da contaminação de alimentos se dá pela falta de armazenagem correta e refrigeração, já que expostos ao ambiente eles se tornam mais vulneráveis a contaminação e proliferação de bactérias”, ressalta.

Porém, não é apenas em casa que os cuidados devem ser redobrados. Quando a opção for por realizar as confraternizações em restaurantes, bares ou hotéis, é preciso ficar atento. “Em muitos lugares é possível visitar a cozinha do local. Nos que não são possíveis, é importante ver a coloração dos alimentos, sua textura e seu cheiro. O ideal é consumir alimentos cozidos, para que os riscos diminuam”, destacou Henequim.

As sobras também precisam de atenção na hora da armazenagem. “Um dos principais erros neste momento, é a mistura dos alimentos. Cada um deles, deve ser guardado de forma separada. O arroz, por exemplo, deve ter um recipiente e a carne outro, nada de colocar até três tipos de alimento em um mesmo recipiente. Outra dica importante, é fazer pequenas porções, congelar e descongelar somente quando toda aquela quantidade for utilizada”, finalizou a nutricionista credenciada da Paraná Clínicas, empresa do Grupo SulAmérica, Carolina Henequim.