Maneiras de cuidar da saúde bucal

Desde sempre ouvimos falar que certas manias podem nos ajudar a evitar problemas de saúde no futuro. Quanto o assunto é saúde bucal, muitas pessoas acreditam que produtos como enxaguantes e limpadores de língua são 100% efetivos na resolução de todos os problemas relacionados à boca como a halitose, por exemplo.

Porém isso não é bem verdade, por que então muitas pessoas que utilizam desses meios para higiene pessoal continuam precisando de profissionais da odontologia?

Para a Dra. Cláudia Gobor, cirurgiã dentista especializada pelo MEC no tratamento da Halitose e ex-presidente e atual Diretora Executiva da Associação Brasileira de Halitose, “tratar alterações do hálito com foco em limpar a língua ou em usar enxaguantes é como enxugar gelo: tem efeito limitado e temporário. É paliativo. Cansa, machuca a língua e deixa os pacientes inseguros.”.

Ela explica como deve ser feito o tratamento efetivo: “Para um tratamento efetivo, precisamos atuar na raiz do problema, ou seja, nas causas que fazem com que a pessoa tenha formação de saburra lingual de forma rápida ou volumosa.” A doutora compara o tratamento do hálito com um exemplo muito simples que aprendeu com a vó que era amante de jardinagem. “… Me ensinou que só controlamos ervas daninhas se a arrancamos pela raiz. Por que com o hálito seria diferente?”

Logo, se o diagnóstico e principalmente o tratamento forem feitos da maneira correta, os problemas serão pelo menos controlados e ajudará a prolongar a qualidade de vida do indivíduo.

A Dra. Cláudia ainda reforça – “O Mau Hálito não tem ´cura´… Mas temos que conscientizar a população de que Halitose tem solução, tem tratamento, desde que o paciente procure um profissional especialista ou capacitado para diagnosticar as causas corretamente”.