OMS alerta que música alta pode levar à perda de audição

A Organização Mundial da Saúde (OMS) celebra nesta quinta (3), o Dia Mundial da Audição. Nesta data, a agência alerta que mais de 1 bilhão de pessoas entre 12 e 35 anos correm o risco de perda auditiva por excesso de música alta.

Para a diretora da OMS de doenças crônicas, Bente Mikkelsen, milhões de jovens e adolescentes podem sofrer com o impacto do uso inseguro de fones de ouvido e com o volume de barulho em eventos, shows e casas noturnas.

Confira seis recomendações da OMS para preservar um som de qualidade uma experiência auditiva agradável em locais e eventos que podem gerar perda de audição:

  1. Não ultrapassar a média máxima de 100 decibéis
  2. Monitorar níveis de som usando equipamento calibrado por especialistas
  3. Otimizar a acústica e sistemas de som para garantir qualidade e segurança
  4. Disponibilizar proteção auditiva individual para o público, incluindo instruções de uso
  5. Acesso à zonas de silêncio para as pessoas descansarem os ouvidos e diminuir o risco de danos auditivos
  6. Fornecer de formação e informação aos funcionários

As consequências da exposição a sons altos são perda auditiva temporária ou zumbido também conhecido como tinnitus ou chiado, informou a OMS. Em relação ao zumbido, não existe tratamento específico ou cura, mesmo com países investindo na pesquisa sobre o tema. Não existe tratamento específico ou cura para o zumbido, apesar de vários países estarem investindo na pesquisa sobre o tema.

Além da exposição a sons altos, que danificam a audição, acidentes como eventos como explosões, tiros de canhões, fogos de artifício e barulhos provocados por armas de fogo também podem causar o zumbido.

A preocupação da OMS é que a exposição prolongada ou repetida cause danos auditivos permanentes, resultando em perda auditiva irreversível. Com isso, a agência pede que os jovens siga algumas orientações como: manter o volume baixo em dispositivos de áudio pessoais, usar fones de ouvido bem ajustados e, se possível, com cancelamento de ruído, usar protetores de ouvido em locais barulhentos e fazer check-ups auditivos regulares