Procura por oxigênio dispara em Ponta Grossa

A reportagem do Tribuna da Massa foi atrás de informações para entender a situação na cidade

Com a situação caótica vivida pelos hospitais de Ponta Grossa e de todo o Paraná, a preocupação é que os pacientes acometidos pela Covid-19 acabem sufocados pela falta de oxigênio.

A reportagem do Tribuna da Massa Ponta Grossa foi atrás de informações para entender a situação na cidade. De acordo com a 3ª Regional de Saúde, não há riscos de desabastecimento na região. Os hospitais de Ponta Grossa são abastecidos por tanques e, por isso, o fornecimento de O2 estaria garantido. Na UPA Santa Paula houve falta de oxigênio porque lá o oxigênio é fornecido via cilindros, mas já está em fase de aquisição um tanque para evitar o desabastecimento.

A Fundação Municipal de Saúde de Ponta Grossa (FMS) informou em nota que as empresas que atuam no setor têm informado que já estão com dificuldades em envasar o O2 por causa da falta de cilindros, e também porque a demanda cresce a cada dia devido ao número de pacientes a serem atendidos.

Para suprir a necessidade da UPA Santa Paula, por exemplo, que possuía um consumo de 8 cilindros por dia e passou para 40 por dia, a empresa providenciou cilindros reservas para evitar o desabastecimento.

Veja mais detalhes na reportagem completa do Tribuna da Massa Ponta Grossa desta terça-feira (16):