Trabalhadores portuários se preparam para vacinação contra a covid-19

Chegou a vez dos trabalhadores portuários serem vacinados no Paraná. Junto com outros grupos prioritários, pelo Plano Estadual de Vacinação contra a Covid-19, a categoria profissional receberá as primeiras doses que chegam na 21ª remessa de imunizantes que o Estado está para receber do Ministério da Saúde. Das 390.190 doses, a expectativa é que 9.627 sejam destinadas ao grupo.

Para o secretário de Estado de Infraestrutura e Logística, Sandro Alex, a vacinação dos portuários é uma decisão muito importante diante da eminência de uma nova cepa. “É importante que os trabalhadores se sintam seguros em seguir trabalhando e o Estado seguro com a continuidade da atividade”, afirma. Segundo ele, o grupo de trabalhadores dos portos de Paranaguá e Antonina envolve todas as categorias de Trabalhadores Portuários Avulsos (TPAs), empresas e agências marítimas que atuam nos portos do Paraná.

Para o diretor de desenvolvimento empresarial da Portos do Paraná, André Pioli, a necessidade dos trabalhadores portuários serem vacinados é extrema. O serviço não parou e segue movimentando a economia do Estado e do Brasil.

A vacinação dos trabalhadores, segundo Pioli, irá tranquilizar as famílias dos trabalhadores e a comunidade local. “Imunizado, o trabalhador terá ainda mais tranquilidade ao retornar para casa. Por isso a necessidade de que a vacinação ocorra o quanto antes”, diz.

Estratégia

Na segunda-feira (24), André Pioli se reuniu com o secretário de Estado da Infraestrutura e Logística, Sandro Alex, o prefeito de Paranaguá, Marcelo Roque, a secretária municipal de Saúde, Ligia Regina de Campos Cordeiro, e o diretor da 1ª Regional de Saúde, José Carlos de Abreu, para reforçar a necessidade da imunização da categoria.

José Carlos de Abreu, diretor da 1ª Regional de Saúde, diz que o órgão, que representa a Secretaria de Estado da Saúde no Litoral, agora aguarda as orientações técnicas e a definição da data de envio da nova remessa, ainda sem definição.

Segundo ele, a vacinação da categoria, tanto em Paranaguá quanto em Antonina, será coordenada pelas secretarias municipais de Saúde. Porém, a logística do processo seguirá sendo discutida com a Portos do Paraná e com o Governo do Estado.

Sobre a quantidade de trabalhadores que estariam entre os portuários, estima-se que seja de 13.545 pessoas, porém sem descontar o público que já teria recebido os imunizantes em outras etapas do Plano de Vacinação.

De acordo com a Secretaria de Estado da Saúde, as vacinas que virão nessa remessa são da parceria entre a Fundação Osvaldo Cruz (Fiocruz), AstraZeneca e Universidade de Oxford. Além dos trabalhadores portuários, as novas doses serão aplicadas também em pessoas com comorbidades e deficiência permanente, profissionais das forças de segurança e salvamento, das Forças Armadas e trabalhadores do transporte aéreo.

Informações da Agência Estadual de Notícias