Massa News, notícias do Paraná e do Brasil

Curitiba, PR
Clima
20.4ºC
Massa News, notícias do Paraná e do Brasil

Síndrome do pensamento acelerado pode ser orientada

Redação

Redação

A Síndrome do Pensamento Acelerado (SPA), não é uma doença, mas um sintoma associado a um quadro de ansiedade. Quando se fala de Síndrome do Pensamento Acelerado, fala-se de uma dificuldade pessoal em relaxar, acalmar e organizar a mente e de uma busca incessante por informações e estímulos, ou seja, ocorre uma inundação por pensamentos acelerados o tempo todo, o que dificulta a concentração, e desgasta a saúde física e mental. “Vale ressaltar, que um sintoma se torna patológico, de acordo com sua intensidade”, explica Cristiane Duez Verzaro dos Santos, psicóloga do Núcleo de Apoio Psicológico e Psicopedagógico (NAPP) da Faculdade Santa Marcelina.


A seguir, a psicóloga fala dos sintomas, causas e como tratar a patologia.

Como ele se manifesta? Quais os principais sintomas?

O ritmo alucinante dos grandes centros, acaba produzindo um número excessivo de informações, produzindo uma mente hiper pensante, agitada, impaciente, com dificuldades no campo criativo e baixo nível de tolerância. Os principais alvos desta condição são profissionais constantemente avaliados e um ritmo acelerado de trabalho, sem poder relaxar, para evitar o comprometimento de seu rendimento, tais como: executivos, professores, profissionais da saúde, jornalistas, entre outros.

A manifestação se dá através dos seguintes sintomas:

Preocupação excessiva, instabilidade emocional, inquietação, intolerância a frustração, déficit de concentração, fadiga excessiva, cansaço ao acordar, dores físicas (de cabeça ou musculares), sofrimento por antecipação e prejuízos da memória.

O que causa esse problema?

Na Síndrome do Pensamento Acelerado (SPA), as causas podem ser originadas de alguns transtornos como: ansiedade, bipolaridade, Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH), Borderline e, como consequência do uso de drogas, como cocaína. Na SPA, os sintomas de inquietação aumentam de forma gradativa ao longo dos anos, o que significa a possibilidade de uma diferença intensa no comportamento do indivíduo. Uma das principais causas da SPA o acúmulo de informação, aliado às questões sociais como: o exagero de estímulos (uso de celulares e tecnologias, redes sociais, rapidez de informação), excesso de brinquedos, etc.

Existem fatores de risco associados à SPA? Quais?

O portador da SPA produz uma super construção de pensamentos, em uma velocidade tão alta que acaba por estressar e desgastar o cérebro. Na verdade, tem a ver com a intensidade e o volume de pensamentos e ideias, ou seja, a aceleração do pensamento aumenta a ansiedade e interfere na saúde física e mental. Por não conseguir desligar a mente e apresentar dificuldade em desacelerar o pensamento, o indivíduo acaba sofrendo por antecipação. Uma outra caraterística, é o cansaço físico exagerado e inexplicável. Isso porque os portadores dessa síndrome, ao pensarem demais, tendem a roubar energia do córtex cerebral, que é a camada mais evoluída do cérebro, uma energia que deveria ser utilizada para manter os órgãos do corpo. Como isso não acontece, o organismo responde com a fadiga. Os portadores de SPA demonstram um tipo de comportamento em que perdem o prazer das coisas, com muita facilidade. Apresentam um esforço muito grande para conquistarem algo, para logo após desanimarem. Em seguida, procuram algo novo para realizar, ou seja, ficam em uma eterna busca pela felicidade e satisfação.

Como é feito o diagnóstico da síndrome?

Os sintomas da SPA são bem definidos, mas podem estar associados a outros distúrbios. É comum relatos de dificuldades em se “desligar”, principalmente na hora de dormir. Seus pensamentos estão tão acelerados que o cérebro se mostra incapaz de iniciar o ciclo do sono. Essa dificuldade pode acarretar problemas de memória a curto e médio prazo, bem como, a irritabilidade. É comum também que pessoas com SPA demonstrem dificuldades em aceitar sugestões e apresentem padrões de impulsividade como, não pensar antes de agir ou dizer algo. Outros sintomas considerados psicossomáticos são dores de cabeça, dores musculares, gastrite, e até mesmo queda de cabelo, podem aparecer. Para se ter um diagnóstico correto, procure a ajuda de um profissional da psicologia, ele avaliará os sintomas apresentados, bem como, o contexto em que se está inserido.

Como é feito o tratamento da SPA?

Primeiro faz-se necessário “trabalhar” a ansiedade dos pensamentos, buscando entender que não há como resolver todos os problemas. Dividir as tarefas do dia a dia, bem como as atividades do trabalho de forma a não se sobrecarregar, e diminuir auto exigência e a auto cobrança. É recomendado evitar longas jornadas de trabalho e tirar férias por curtos períodos com maior frequência, sempre que possível. Realizar pausas mais frequentes na rotina, como tirar momentos para ler ou aproveitar o sol sem pensar em outras atividades. Atividades físicas também se mostram muito efetivas no tratamento da Síndrome do Pensamento Acelerado, pois servem como um momento de relaxamento, para desacelerar a mente. Diminuir os acessos às redes sociais é excelente para combater a mente acelerada, visto que ao reduzir o número de acessos à internet, também diminui a exposição as informações, bem como, as comparações que acontecem em função disso. Realizar um planejamento diário em que se determina o que são prioridades naquele dia ajuda a organizar a mente de forma a não sobrecarregar os pensamentos. Essa organização é importante para desenvolver as sensações de trabalho concluído. O tratamento mais indicado para a SPA é a psicoterapia, com o objetivo de controlar pensamentos e a gestão de emoções.

O tratamento envolve o uso de medicamentos? Quais?

Uma outra vertente do tratamento é o acompanhamento psiquiátrico que vai auxiliar na identificação e indicação de medicamentos ansiolíticos e antidepressivos. Medicações ansiolíticas ajudarão o paciente com a redução da ansiedade e da tensão, enquanto medicamentos antidepressivos poderão equilibrar o humor.

Doenças como transtorno de ansiedade e depressão podem causar ou piorar essa síndrome?

Tudo vai depender da intensidade dos sintomas.

A ansiedade e a depressão, tanto podem ser entendidas como uma das causas para a SPA, quanto piorar o quadro.

Por isso, o tratamento psicológico e psiquiátrico, juntos, auxiliam na administração da melhora.

A síndrome tem cura?

Quando falamos de saúde mental, não falamos em cura. Assim, a síndrome do pensamento acelerado pode ser tratada e administrada. O tratamento varia de caso para caso, porque ele é feito com adaptações nos hábitos do cotidiano de cada indivíduo.

Que mudanças de vida o paciente com SPA pode adotar durante e após o tratamento da síndrome?

Apesar da importância das redes sociais e do trabalho nas nossas vidas, é necessário perceber quando é hora de relaxar. É importante:

– Estabelecer limites para si mesmo e conhecer suas responsabilidades.

– É saber quando relaxar e quando é hora de agir.

– Fazer terapia – o psicólogo ajudará na organização dos pensamentos e sentimentos, bem como saber se preocupar e se apropriar com o que realmente importa.

– Praticar esportes, yoga e atividades físicas em geral.

Cuidados com a mente e o corpo são essenciais, assim como o controle ao acesso à tecnologia e à informação que está facilmente ao nosso dispor. É fácil cometer excessos, principalmente quando estamos cansados.

Qual a relação entre o TDAH com a SPA?

O TDAH tem origem genética e causa intensos sintomas de ansiedade e por consequência inquietação e agitação. É comum também que essas singularizações da condição apareçam no início da vida, ou seja, na infância e ainda a existência de um histórico familiar com presença da patologia. A SPA, tem origem no momento de vida, em que o indivíduo está inserido. Se dá na vida adulta, como consequência de situações sociais a que o indivíduo está exposto.

Entre no grupo do Massa News
e receba as principais noticias
direto no seu WhatsApp!

Compartilhe essa matéria nas redes sociais

Ative as notificações e fique por dentro das notícias

Dá o play Assista aos principais vídeos de hoje
Colunistas A opinião em forma de notícia