Você realmente tem hábitos saudáveis?

Em 7 de abril é lembrado o Dia Mundial da Saúde e a diretora do Grupo Hospitalar São Vicente explica quais atitudes ajudam a manter a saúde e qualidade de vida em dia

De acordo com o levantamento do Sistema de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico – Vigitel Brasil 2020, realizado pelo Ministério da Saúde, somente 4,5% brasileiros avaliam negativamente o seu estado de saúde. Mas, será que o restante da população realmente tem um estilo de vida saudável? Os números da mesma pesquisa demonstram que, provavelmente, não. Apenas 22,5% das pessoas dizem ter o consumo diário recomendado de frutas e hortaliças. Já 47,2% afirma ter um nível insuficiente de prática de atividades físicas e 57,5% dos entrevistados estão com excesso de peso.

Para manter um peso adequado, basta justamente ter uma combinação de alimentação equilibrada e prática de exercícios físicos. A Dra. Cecília Vasconcelos, diretora técnica do Grupo Hospitalar São Vicente, explica que uma dieta adequada para um adulto é mais simples do que se imagina. “Basta ter uma alimentação regular com proteínas e vitaminas, que inclua carnes magras, ovos, frutas, verduras e fibras. Um prato com alimentos coloridos ao dia já é suficiente para que não seja preciso suplementação em adultos saudáveis”, observa. Ela ressalta ainda que o consumo recomendado de frutas e hortaliças é de cinco porções por dia (400 gramas no total) e deve-se moderar as frituras e comidas gordurosas, alimentos processados e industrializados, além de sempre beber muita água.

Já quanto aos exercícios físicos, muitos dizem não ter dinheiro para uma academia ou faltar tempo. Contundo, a recomendação é que sejam feitos apenas 150 minutos por semana, ou seja, 30 minutos em cinco dias ou cerca de 22 minutos em sete dias. Além disso, existem diversas alternativas, como sugere Dra. Cecília. “A pandemia nos trouxe várias formas de conseguir praticar exercícios físicos com o formato on-line e há muitos vídeos, como ginástica, dança ou qualquer outra forma de exercitar seu corpo, passar assistir e poder fazer em casa”, lembra. “Você ainda pode simplesmente colocar um tênis e caminhar pelas ruas, pela quadra, meia hora por dia já é o suficiente”, complementa.

Contudo, a médica destaca que é necessário fazer uma consulta médica para avaliar a condição cardiovascular e verificar qual a intensidade de exercícios físicos que cada pessoa pode fazer.

Momentos de descanso

O estresse é outro vilão da saúde. Como fugir dele? Segundo a diretora técnica do Grupo Hospitalar São Vicente não é possível evitar o estresse, somente buscar maneiras de controlar. Nem sempre sabemos como fazer isso, mas algumas atitudes podem ajudar. “Ter um bom sono, fazer exercícios físicos, ter gasto de energia durante o dia e fazer atividades com atenção e planejamento já permitem que você tenha uma melhor reação ao estresse. Mas, se você sentir que as preocupações na sua mente estão te consumindo, é muito importante consultar um profissional da área da saúde mental”, orienta.

Uma maneira para ajudar a desfocar dos problemas é ter passatempos e atividades que ajudem a relaxar. “Sempre respeite o seu horário de descanso e procure ativar a mente entre outras esferas da sua vida, como ler um livro, fazer um curso, algo que que não faça parte do seu dia a dia. Aprender coisas novas, procurar desafios novos desfoca sua mente dos problemas que estavam te consumindo”, assegura Dra. Cecília Vasconcelos.

Saúde em dia

Contudo, é importante lembrar que adotar hábitos de vida saudáveis não exclui a necessidade de avaliações médicas regulares. Nem sempre a falta de sintomas de doenças significa que você está com a saúde em dia.

“Existem doenças que são silenciosas, que não demostram sinais e sintomas que não conseguimos prever. Por isso, é necessário fazer exames anuais ou de acordo com a periodicidade de cada caso. Assim, é mais provável que se possa fazer um diagnóstico precoce e, quando necessário, estabelecer a restauração da saúde de forma mais breve possível”, salienta a diretora técnica do Grupo Hospitalar São Vicente.