Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

Uma experiência de espelho

(Foto: Divulgação) - Uma experiência de espelho
(Foto: Divulgação)

Embora controverso e pouquíssimo utilizado nos dias atuais, o teste de Rorschach foi o ponto de partida para o trabalho de pesquisa da jornalista-artista Daniélle Carazzai, que resulta em sua primeira individual pela AIREZ Galeria de Artistas Independentes. "As manchas sendo interpretadas de forma diferente pelas pessoas e o padrão utilizado por quem as analisava era uma conta que nem sempre fechava pra mim. Os resultados não são rígidos e variam justamente porque há um insconsciente vasto por traz de cada olhar”, afirma Daniélle.

Enquanto se aprofundava na interpretação, a artista notou que havia outras formas de linguagem menos usuais ou de acesso restrito que também causavam essa sensação de empoderamento da interpretação individual com uma estética minimalista, caminho percorrido em sua trajetória pela arte. Assim, ela enveredou para o estudo dessa estética nos borrões de Rorschach, nos pontos e traços do Código Morse e nos relevos brancos e ritmados do Braille. Nesse conjunto de símbolos se deparou com questionamentos sobre beleza, compreensão, passado e presente. “Descobri que estamos sempre sós quando olhamos algo pela primeira vez. É lá dentro que acontece o primeiro impacto com toda a carga de experiências pelas quais passamos. Parece óbvio demais, mas é justamente nesse óbvio que quero navegar”, explica a artista.

Outro ponto que a aproxima da linguagem, além de sua relação íntima com o texto, é o não-objeto. Como seu campo artístico está mais ligado à cerâmica, em especial a escultória, as questões opostas ao funcional sempre estiveram presentes em seu trabalho. Esse pensamento passou a ser o foco para o desdobramento da pesquisa em obras artísticas. “Optei por levar a cerâmica para a parede, o que a tornou quase funcional embora as peças sejam vistas quase como acessórias. O principal nesse trabalho foi transformar tudo em não-dito partindo de uma estética linguística”, finaliza.

Sobre a artista

Daniélle Carazzai é artista visual com atuação voltada fortemente para a cerâmica e, mais recentemente, para a pintura. Sua obra está relacionada com a pureza dos materiais e com o minimalismo tendo certa predileção pelo abstrato e pelas formas não usuais de linguagem. É artista representada pela AIREZ Galeria de Artistas Independentes e frequenta oficina livre de pintura no Museu Alfredo Andersen, em Curitiba. Participou de exposições coletivas no MON, Museu Alfredo Andersen, Fundação Mokiti Okada, SESC Água Verde, entre outros. Durante três anos consecutivos participou do grupo gestor do Coletivo Cerâmica Contemporânea Curitiba, tendo contribuído na organização das intervenções com mais de 100 artistas paranaenses nos jardins do MON – Museu Oscar Niemeyer (entre 2013 e 2015). Em 2016, participou da Casa Cor PR com peças exclusivas nos ambientes da arquiteta Janaína Macedo e do paisagista Wolfgang Schlögel, foi selecionada para o XXIV Salão de Artes Visuais do Clube Curitibano e para compor a Coletânea de Contos Infanto-Juvenis do Sesc PR. Além disso, em dezembro, realiza exposição individual na Airez Galeria e ministra vivência em cerâmica na Casa Tangente, em Curitiba. É jornalista graduada pela UFPR e pós-graduada em Comunicação para o Terceiro Milênio pela PUC-PR, empreendedora na Indi Comunicação e Estratégia.

Serviço

 Exposição Sós, de Daniélle Carazzai
 03 de dezembro de 2016 | 17 horas
 AIREZ Galeria de Artistas Independentes
 R. Emilio de Menezes, 91