Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

Cave Colinas de Pedra - o universo dos espumantes pertinho de Curitiba

Cave Colinas de Pedra - o universo dos espumantes pertinho de Curitiba

Piraquara, que fica a 29 km da capital paranaense, é uma daquelas cidades pertinho de Curitiba que reserva grande surpresas. Uma delas é a Cave Colinas de Pedra. O lugar, idealizado pelo empresário Ari Portugal, é uma verdadeira imersão ao mundo dos espumantes.

Logo na chegada o visitante é recebido pelo filho de Ari, o Rafaelle, que é o responsável por contar a história da Cave e direcionar o pessoal para a visita. Durante a conversa com Rafaelle você vai perceber a paixão da família pelo empreendimento, e não raras as vezes vai ver “o filho do dono” chorar de emoção. Tudo isso porque com apenas dois anos de funcionamento o local já opera com casa lotada e seu projeto, único no mundo, recebeu em 2013 pesquisadores da Chaire UNESCO Culture et Traditions du Vin, para realizar um trabalho que foi apresentado no Rencontres du Clos-Vougeot, na cidade de Dijon - França, importante evento da UNESCO.

A Cave Colinas de Pedra fica em uma área de 45 hectares aos fundos da antiga Estação Ferroviária de Roça Nova. Há 10 anos o Sr. Ari arrematou em leilão público uma litorina sucateada e o túnel ferroviário desativado.

A Estação Roça Nova, lindamente restaurada, virou restaurante e loja de venda das Espumantes Tunnel da Cave.

O vagão, que por enquanto é usado como cenário para ensaios fotográficos e gravação de clipes musicais - a cantora e compositora londrinense Ana Vilela escolheu o local para rodar o clipe de ‘Trem Bala’ - futuramente se tornará um gastro-bar, com bebidas e petiscos.

Já o túnel Imperial, projeto dos Irmãos Rebouças inaugurado em 1885, guarda as marcas de sua história até hoje. No teto, por exemplo, é possível ver a fuligem da Maria-fumaça que passou transportando a Princesa Izabel, além das inscrições nas pedras graníticas com as iniciais dos operários que trabalharam na execução da obra. Traçando uma linha reta entre o centro de Curitiba e o centro de Morretes, o túnel se encontra exatamente no meio, a 20 km de ambas as cidades. Desativado a 48 anos, o local possui condições únicas - sua temperatura interna varia entre 16°C e 17°C, uma excepcionalidade que reúne as condições mais adequadas para a maturação de vinhos espumantes.

Durante o passeio, o visitante percorre os 429 metros do túnel e confere todo o armazenamento das 50 mil garrafas da Cave, que ficam lá por no mínimo 2 anos. A Colinas de Pedra faz a guarda, maturação e processos finais do vinho espumante, pelo método de elaboração Champenoise, que compreende a rèmuage, dégorgement, adição do licor de expedição, rolha, gaiola e rotulagem. A primeira fase de elaboração do espumante é feita pela tradicional vinícola brasileira Cave Geisse, localizada em Pinto Bandeira (RS), de propriedade do respeitado enólogo chileno Mário Geisse.

Durante a visita é possível experimentar um dos espumantes Tunnel, marca da Cave, que tem nas versões Nature, Brut, Extra Brut, Brut Rosé, Moscatel ou Moscatel Rosé. O Tunnel Nature, por exemplo, não possui adição de açúcar, proporcionando assim uma degustação com destaque dos seus aromas naturais. Perlage intenso, com bolhas persistentes, tem como base aproximadamente 80% de Chardonnay e 20% Pinot Noir, com tempo mínimo de maturação em cave de 24 meses.

Após o passeio, que dura em média uma hora e meia, o visitante tem a opção de almoçar na propriedade e provar as delícias da dona Rosi Mari, esposa de Ari e mãe de Rafaelle – que comanda um buffet bem diferente – quase todo servido em ramequins (porcelanas e panelinhas individuais). Entre as opções há muitos queijos, pães, bruschettas, ceviche de manga, polenta cremosa com ossobuco, barreado e moqueca de camarão, além de deliciosas sobremesas. E o local é mais do que convidativo para passear, tirar fotos ou simplesmente deitar na rede depois do almoço e ver o mundo (e o trem) passar.