Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

O Despertar das Cerejeiras do Japão

O Despertar das Cerejeiras do Japão

Quando soube que iria para o Japão na época da floração das cerejeiras não conseguia entender o porque de tanta algazarra em todos os lugares que eu lia ou procurava informações. Claro que as cerejeiras são lindas, as que temos em Curitiba são maravilhosas, mas no meu entendimento era difícil compreender tanto frisson....

Foi somente quando chegamos lá, e com muita sorte, na época exata da floração, que consegui entender um pouco da importância desse evento que acontece no país inteiro!

A floração das cerejeiras não é só o desabrochar de lindas flores, tem um significado muito maior. É o fim do duro inverno, o frio rigoroso que esconde dentro das casas o povo mais cordial e educado que eu já conheci (isso é assunto para outro texto).

O que vemos nos meses de abril e maio é o país inteiro, de norte a sul, sendo colorido com o rosa (branco também). Algumas para cima, outras para baixo, como se estivessem chorando. Os parques, praças, ruas, estradas... tudo é florido! É muito mais bonito do que se consegue registrar em fotos. As pessoas fazem festas, se encontram, piqueniques, muita comida, bebida, conversas, crianças, idosos, grupos enormes de adolescentes, famílias inteiras juntas.

E as cerejeiras iluminadas? Um espetáculo à parte! Visitamos alguns parques à noite onde as cerejeiras são iluminadas e a festa com barracas de comida continua. É lindo. É cinematográfico. É uma experiência que vale a pena ser vivida! A contemplação das flores invade as cidades modernas trazendo consigo uma filosofia milenar.

A comida muda, os ingredientes mudam, tudo pela sazonalidade da estação.

São tantos ingredientes diferentes! E claro, nós comemos a rosa da cerejeira que vem em alguns pratos como adorno, sorvete de cereja, torta de cereja, doces incríveis de cereja, marshmallow recheado de cereja, café com leite de cereja (o leite é rosa). A perfeição do preparo, o cuidado, o respeito pelo alimento e o respeito para quem está sendo servido.

Em 14 dias, mais de 1000 km de viagem, vimos a floração de norte a sul. Em duas semanas elas se desfazem, suas pétalas voam e forram o chão no mais lindo tapete que existe, que somente a natureza consegue criar, um espetáculo que não pode ser reproduzido.

Há mais de 1000 anos a tradição existe, podemos ver nas antigas obras de arte, nas pinturas de paredes, roupas, tapetes, quadros, vasos, leques, manuscritos.

No Museu Nacional de Tokyo, onde fomos exatamente no dia da Festa da Floração no parque Ueno, tínhamos que encontrar as obras de arte que representavam as árvores floridas. Um livreto especial mostrava, em praticamente todas as salas, algum objeto ou obra de arte com as cerejeiras em flor, independente da época que havia sido criado.

O trem bala, dependendo do trecho quem que se viaja, tem diferentes nomes. Um dos trechos que pegamos até nosso destino final, Fukuoka, chama-se “Sakura” que é cerejeira em japonês.

A floração traz consigo outra tradição, as pessoas passeiam pelo país em suas roupas tradicionais, yukatas, quimonos, homens e mulheres, são tantos, que parece que estamos dentro de um filme.

Eu, que havia conhecido o Japão há 17 anos, posso garantir que voltar nessa época do ano foi como conhecer um outro Japão!

Texto: Lucia Casillo Malucelli