Mostra Afrika XX conta com exibição de filmes gratuitos

Com 11 filmes para assistir de forma gratuita, a Mostra de Cinemas Pioneiros do Continente Africano começa nesta semana no site do Cine Passeio. As sessões iniciam na quinta-feira (6) de forma online, com duração de 24 horas para assistir cada filme. O evento está disponível para todo o Brasil.

Com organização das curadoras Bea Gerolin e Kariny Martins, foram selecionados filmes realizados por cineastas africanos que perpassam o período entre os anos 1950 e 1990, uma cinematografia múltipla em pensamentos, estéticas e modos de produção.

Entre os destaques da programação estão três filmes do consagrado cineasta senegalês Djibril Diop Mambéty, que aparece na programação com Le Franc (1994) e A Pequena Vendedora de Sol (1999), exibidos em sessão com acessibilidade em libras, além da exibição da cópia restaurada de seu último longa-metragem, Hienas (1992).

Também terão exibição conjunta três filmes do nigeriano Moustapha Alassane, em um programa que desvela a versatilidade artística por meio do faroeste O Retorno de Um Aventureiro (1966), o documentário Shaki (1972) e da animação Samba, o Grande (1978).

O filme mais antigo na programação é África Sobre o Sena (1955), obra filmada em Paris por Paulin Soumanou Vieyra e Mamadou Sarr e que se tornou um marco do cinema africano. Ousmane Sembene, o primeiro diretor negro a filmar no continente africano, também aparece na programação com um título menos difundido que seus primeiros trabalhos, o longa Ceddo/Intrusos (1977). Dakan/Destino (1997), do diretor guineense Mohamed Camara, considerado o primeiro filme da África Ocidental a protagonizar uma relação homossexual entre dois homens também integra a programação.

Para além do continente, a ilha de Madagascar aparece representada pela obra Tabataba/Rumor (1988), de Raymond Rajaonarivelo, um contundente manifesto pela independência. Sarah Maldoror, cineasta falecida em 2020, profundamente envolvida nas lutas anticolonialistas e autora de mais de 40  filmes, pouquíssimos acessíveis no Brasil, está na programação com o média-metragem Aimé Césaire, Máscara das Palavras (1987).

Informações da Prefeitura de Curitiba