Pianista polonês homenageia a Ucrânia em concerto na Capela

O romantismo tomou conta dos ares da 39ª Oficina de Música de Curitiba, na tarde deste sábado (2), com a apresentação do pianista polonês Rafael Luszczewski e do violonista Winston Ramalho na Capela Santa Maria. Na primeira parte do programa, Luszczewski fez um recital solo, tocando obras do período romântico, sua especialidade.

O pianista executou peças dos mais célebres compositores do movimento musical do século XIX, caracterizado por melodias que despertam a emoção. Além de peças conhecidas de Frédéric Chopin, como o Estudo Opus 10, e que fechou a primeira parte, o pianista tocou obras de Robert Schumann, Franz Liszt e Edvard Grieg. No duo com o violinista, o pianista tocou a Sonata em Ré Menor nº 3 (Op.108) e a Dança Húngara nº 1 em Sol menor, de Johannes Brahms.

Ao se dirigir à plateia, o músico polonês manifestou sua homenagem à Ucrânia, país vizinho à Polônia. “Quero manifestar minha solidariedade ao povo ucraniano, que está defendendo sua terra e seus valores”, disse Rafael Luszczewski.

Sobre a Oficina de Música, contou que é a primeira vez que vem a Curitiba, embora tenha participado de outros festivais no Brasil. “Gostei da programação, que é diversa, mistura a música erudita e popular, o que é muito interessante”, afirmou.

Despertar musical

Na plateia, além do público fiel à programação da Capela Santa Maria, havia quem está despertando para os encantos da Oficina. A estudante de Ensino Médio, Ana Paula Machado, de 18 anos, e seu amigo Gabriel Silva, de 20, estavam assistindo a um recital de piano ao vivo pela primeira vez.

“Sempre gostei muito de música e queria ver de perto como é um concerto. Achei muito legal”, disse Ana Paula, adiantando que pretende assistir a outros. “Tem alguns que eu listei e chamaram minha atenção. Pretendo vir”, afirmou.

Danielle Saad foi ao concerto com a filha, a pequena Valentina. Embora já tenha assistido a outros recitais, este foi o primeiro na Capela Santa Maria. “Minha mãe foi professora de piano, eu toco um pouco e minha filha faz aulas de piano. Sempre procuro prestigiar, por isso estou acompanhando a programação da Oficina de Música. Me chamou a atenção o currículo do pianista, um dos melhores do mundo. Foi maravilhoso”, atestou.

Na segunda-feira (4), às 19h, o palco da Capela terá outros recitais – o de viola, com Iberê Camargo, e o de violão, com Everton Gloeden.