Superliga Feminina tem Curitiba Vôlei em quadra e clássico nacional

A segunda rodada do turno da Superliga 21/22 traz mais um capítulo de um dos grandes clássicos do voleibol brasileiro. Nesta sexta-feira (5), o Sesc RJ Flamengo (RJ) enfrenta o Osasco São Cristóvão Saúde (SP), às 21h, no ginásio do Tijuca, no Rio de Janeiro (RJ), com liberação de 50% da capacidade de público. O SporTV 2 transmite ao vivo. Ao longo dos 27 anos da Superliga, os times de Rio e Osasco se enfrentaram em nada menos que 12 finais.

“Estou muito animada para finalmente ter a oportunidade de ver de perto a torcida do Sesc RJ Flamengo. Já joguei muitas vezes contra a torcida do Rio e sei o quanto eles ajudam o time. Vai ser bem especial esse encontro, ainda mais nesse clássico que dispensa comentários”, afirma a levantadora Juma, que destaca a importância de um bom saque no confronto contra a equipe do treinador Luizomar de Moura. “Rio e Osasco tem uma energia diferente. Nós estamos muito concentradas para esse jogo. Elas têm um time muito coeso, jogadoras fortes em todas as posições, então precisamos sacar bem e seguir o esquema tático que a comissão técnica está traçando. Vai ser um jogão”, aposta Juma.

No Osasco São Cristóvão Saúde, a levantadora Fabíola também fala sobre o peso da partida. “O jogo contra o Rio é sempre um clássico, uma partida muito difícil. Será o nosso primeiro jogo com volta do público no Rio. Jogar com os torcedores sempre ajuda e foi muito bom reencontrar o público quando jogamos em Osasco. O Sesc RJ Flamengo tem uma equipe muito forte que manteve a base do time do ano passado. A equipe carioca é muito bem treinada e sabemos do desafio que será essa partida”, destaca Fabíola.

Protocolo de Covid 19

Para garantir a igualdade entre os times, a Confederação Brasileira de Voleibol (CBV) estabeleceu que a presença de torcedores seguiria a capacidade mínima permitida entre as cidades-sede. No momento, Uberlândia, onde joga o Dentil/Praia Clube (MG), com liberação de 20% de público nos jogos. Porém, o clube mineiro informou oficialmente à CBV que concorda com a liberação de 50% da capacidade dos ginásios nos jogos das outras equipes, com a condição de que suas partidas, como mandante ou visitante, permaneçam com 20% de público enquanto a restrição em Uberlândia for válida. Todas as demais equipes concordaram com a proposta.

Todos os jogos da Superliga seguem um rígido protocolo de segurança elaborado pela CBV. Para acesso aos ginásios, o torcedor deve apresentar comprovação oficial de vacinação plena ou teste RT-PCR negativo realizado até 72 horas antes da partida/teste de antígeno negativo realizado até 24 horas antes da partida. Na entrada do ginásio há aferição de temperatura corporal e o uso de máscara é obrigatório durante todo o evento. Os clubes têm a responsabilidade e cumprir o protocolo de segurança e as exigências sanitárias de cada município.

Superliga 21/22

Segunda rodada do turno

  • 05/11 (sexta-feira) – Dentil/Praia Clube (MG) x Sesi Vôlei Bauru (SP), às 18h30, na Arena Dentil, em Uberlândia (MG) – SporTV 2
  • 05/11 (sexta-feira) – Barueri Volley Club (SP) x Country Club Valinhos (SP), às 18h, no José Correa, em Barueri (SP) – Canal Vôlei Brasil
  • 05/11 (sexta-feira) – Fluminense (RJ) x Brasília Vôlei (DF), às 19h, no ginásio do Fluminense, no Rio de Janeiro (RJ) – Canal Vôlei Brasil
  • 05/11 (sexta-feira) – Sesc RJ Flamengo (RJ) x Osasco São Cristóvão Saúde (SP), às 21h, no ginásio do Tijuca, no Rio de Janeiro (RJ) – SporTV 2
  • 05/11 (sexta-feira) – Unilife-Maringá (PR) x Itambé/Minas, 21h30, no ginásio Chico Neto, em Maringá (PR)
  • 06/11 (sábado) – Curitiba Vôlei x Pinheiros (SP), às 19h, no ginásio do Colégio Positivo, em Curitiba – SporTV 2