China confina 17 milhões de habitantes depois de recorde de casos de Covid-19

O governo da China informou, na tarde de domingo (13), que 17 milhões de cidadãos foram colocados em confinamento após o país registrar o maior número de casos de covid-19 em dois anos. Apenas em 24 horas, o gigante asiático contabilizou 3.939 mil infecções da doença.

Segundo o Ministério da Saúde local, a alta na taxa de infecção está sendo influenciada principalmente pela rápida disseminação da variante ômicron. Por conta disso, bairros foram isolados um a um em Xangai, metrópole mais populosa da China, e shoppings, restaurantes e escolas foram fechados.

No centro de tecnologia do sul de Shenzhen, na fronteira com Hong Kong, os moradores também foram confinados, bem como os habitantes da cidade de Yanji. No município de Jilin, por sua vez, os moradores de centenas de bairros foram parcialmente isolados, enquanto as testagens em massa continuam em andamento.

Apesar da China afirmar que abandonou a política de “covid zero”, adotada pelas autoridades no início da pandemia, o governo não descarta a possibilidade de recorrer a bloqueios e confinamentos rigorosos para tentar conter a disseminação do vírus. Até o momento, o país registrou pouco mais de 100 mil casos da doença.

Informações do portal SBT News