Confira valiosas estratégias na preparação para o enem

Faltam menos de seis meses para a realização do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2022. As provas – versões impressa e digital – acontecerão nos dias 13 e 20 de novembro. Foco e constância são peças-chave no planejamento dos estudantes que têm como objetivo desenvolver uma boa performance nas avaliações. Estes dois aspectos falam mais alto do que um sprint fora de hora.

O supervisor do segmento pré-vestibular do Elite Rede de Ensino, Thiago Mulim, pontuou cinco estratégias valiosas quando o assunto é preparação para o Enem. Confira:

– O vestibular é uma maratona, cabe aos nossos atletas do conhecimento administrar a intensidade de suas rotinas de preparação. Logo, nossa primeira dica é: invista em um quantitativo de horas de estudo que possa ser sustentado a médio e longo prazo. Nessa altura do ano, muitos estudantes se desesperam e engajam em horas abusivas de estudo, tentando revisar todo conteúdo do Ensino Médio, mais de uma vez, nesse curto período de tempo.

– Nossa segunda dica, em consonância com a primeira, se refere ao estudo estratégico do exame em si, não apenas das disciplinas previstas. O conhecimento acerca dos principais assuntos cobrados na prova, a partir de informações estatísticas confiáveis, de suas incidências nos últimos anos, servirá de eixo norteador na reta final. Embora seja importante ter familiaridade com todos os tópicos previstos no edital, nesse momento, é ainda mais latente dominar os assuntos que, por certo, aparecerão na prova. Ainda nesse sentido, entendemos na terceira dica: o aluno tem que ser capaz de separar questões fáceis, médias e difíceis, tendo em vista que a sua prioridade, devido à Teoria de Resposta ao Item (TRI), é acertar o máximo de itens básicos. 

– A quarta dica poderia, até mesmo, ser um conselho de vida. Na era digital, informações e especulações circulam com muita velocidade, levantando incertezas sobre assuntos que, muitas vezes, geram ansiedade na população mais jovem. Uma preparação saudável e produtiva não é baseada em rumores. Sabemos aquilo que está ao nosso alcance e fazemos o que é possível, nas condições que são dadas, e, a partir disso, extraímos o melhor de nós. Essa é a quarta dica: acredite no processo e se apegue ao que é, de fato, concreto e está ao seu alcance.

– Por fim, mas não menos importante, falemos da dica de número cinco e da temida redação. Composta por cinco competências, valendo 200 pontos cada, a produção textual do Enem é de extrema relevância para a classificação nos cursos mais concorridos do país. A nossa dica final é que os candidatos devam estar familiarizados com a estrutura dissertativa – argumentativa, bem como precisam realizar, ao menos, uma redação por semana. Porém, a produção desorientada, sem ferramentas comparativas e de feedback, não deve ser encorajada. Nesse aspecto, vale frisar que a qualidade, ao invés da quantidade, necessita prevalecer. Na página do exame, é possível encontrar redações nota 1000 de anos anteriores, o que pode servir como material comparativo e de consulta constante. Finalize sua redação em, no máximo, 60 minutos, e treine para tal feito até que esse tempo se torne uma nova zona de conforto – atentando-se, claro, à caligrafia e aos aspectos gramaticais, os quais podem ser danosos para a nota final.