CoronaVac mantém produção de anticorpos por 12 meses, aponta estudo

Um estudo realizado por pesquisadores da China mostrou que a produção de anticorpos contra a covid-19 induzida por duas doses de CoronaVac persiste por até 12 meses. Segundo o artigo, publicado em formato preprint na plataforma SSRN, a queda natural da proteção contra o vírus ressalta a importância da aplicação da dose de reforço.

O estudo envolveu 759 indivíduos vacinados com CoronaVac, de 18 a 59 anos, sendo 52,5% do sexo feminino. Cerca de 9% dos participantes estavam acima do peso e 8,9% tinham ao menos uma comorbidade. Um mês após a segunda dose, 90% dos voluntários apresentaram produção de anticorpos. Após 12 meses, a soroconversão persistiu, dessa vez com 62,5%.

Além disso, os pesquisadores chineses compararam a CoronaVac com a outra vacina de vírus inativada mais usada no país, a BBIBP-CorV da Sinopharm. Os resultados mostraram que a CoronaVac mantém uma taxa de soroconversão maior do que o outro imunizante após um ano: 62,5% contra 53,5%.

A concentração média de anticorpos neutralizantes foi 195,7 UI/mL após um mês e 51,7 UI/mL no sexto mês, mostrando que a atividade neutralizante começa a cair naturalmente após seis meses, como observado em todos os imunizantes e inclusive em soros de pacientes convalescentes. 

Com isso, o trabalho reforça a importância da aplicação de uma dose adicional, que pode ser feita com a mesma vacina das doses iniciais ou com outros imunizantes, como o da Pfizer ou Janssen, por exemplo.

Informações de SBT News