Merkel diz que restrições da Covid continuarão até mais alemães serem vacinados

Por Andreas Rinke

BERLIM (Reuters) – A chanceler da Alemanha, Angela Merkel, afirmou nesta terça-feira que mais pessoas precisam ser vacinadas contra a Covid-19 antes de as restrições para conter a doença serem suspensas, na esteira da notícia de que a Inglaterra descartará quase todas as medidas a partir da semana que vem.

No dia 19 de julho, a Inglaterra dispensará a exigência legal de uso de máscaras e de distanciamento social, o que uma autoridade alemã classificou como “um experimento altamente arriscado”.

A Alemanha relatou 646 casos novos de coronavírus nesta terça-feira, mais do que os 440 de uma semana atrás, e teve um aumento de 4,9 para 6,4 no número de casos para cada 100 mil pessoas ao longo de sete dias.

“A questão central é quantas pessoas procurarão a vacinação”, disse Merkel em uma coletiva de imprensa. “Quanto mais pessoas se vacinarem, mais livre todos nós voltaremos a ser”.

Uma decisão da França de tornar as vacinações obrigatórias para todos os profissionais de saúde provocou um debate na Alemanha sobre a obrigatoriedade de inoculação de algumas profissões, mas Merkel disse nesta terça-feira que isto não acontecerá, porque fazê-lo poderia minar a confiança pública na campanha de vacinação.

Merkel disse que o governo tentará evitar outro lockdown da economia no outono, mas que é importante manter o distanciamento social e outras medidas para evitar que as infecções se disseminem, apesar de mais pessoas estarem vacinadas.

tagreuters.com2021binary_LYNXMPEH6C0ZI-BASEIMAGE