Presidente do Equador prorroga estado de emergência para combater criminalidade

Por Alexandra Valencia

QUITO (Reuters) – O presidente do Equador, Guillermo Lasso, prorrogou por 30 dias um estado de emergência que vigora em 9 das 24 províncias do país agora que seu governo busca conter crimes que diz estarem ligados ao tráfico e ao consumo de drogas.

A prorrogação provavelmente manterá as patrulhas militares nas ruas em áreas com altos índices de homicídio e outros crimes associados com o tráfico de drogas.

Lasso decretou um estado de emergência de 60 dias no mês passado. O Tribunal Constitucional do país reduziu sua duração para 30 dias e disse que os militares só podem auxiliar a polícia quando sua ajuda for justificada.

“O presidente Guillermo Lasso renovou o estado de emergência declarado em 18 de outubro de 2021… por um período de mais 30 dias nas províncias de El Oro, Guayas, Santa Elena, Manabi, Los Rios, Esmeraldas, Santo Domingo, Pichincha e Sucumbios”, informou a assessoria de imprensa de Lasso na noite de quinta-feira.

Em um decreto publicado nesta sexta-feira, Lasso disse que as medidas adotadas durante os primeiros 30 dias do estado de emergência foram eficazes, mas que não neutralizaram as causas da criminalidade em ascensão.

O índice de homicídio diminuiu de 1,84 para cada 100 mil habitantes em setembro para 0,63 até esta altura de novembro, disse o governo no decreto.

Forças de segurança realizaram mais de 230 mil operações no último mês, desarticularam 76 gangues, confiscaram 16 toneladas de drogas e detiveram 7 mil pessoas, disse o Ministério do Interior no Twitter.

tagreuters.com2021binary_LYNXMPEHAI12W-VIEWIMAGE