Laudo aponta fatores que levaram a acidente com carro alegórico

O SBT teve acesso, com exclusividade, ao lado da reprodução simulada do acidente que levou à morte da menina Raquel Antunes, de 11 anos, após ser prensada entre um poste e um carro alegórico, durante os desfiles das escolas de samba do Rio de Janeiro.

A reprodução simulada aconteceu no local do acidente, nas imediações da Marquês de Sapucaí, onde fica o Sambódromo do Rio, no dia 22 de maio, exatamente um mês após a morte de Raquel. Entre os participaram da reconstituição, estão peritos, a delegada que investiga o caso, agentes do Ministério Público, além de um mecânico e os motoristas do carro alegórico e do reboque.

Os investigadores concluíram que algumas irregularidades colaboraram para que o acidente ocorresse, entre elas, o posicionamento irregular do poste, que não está de acordo com as normas técnicas. O laudo ainda destaca a falta de iluminação do lado direito da via, onde a menina foi atingida, e a ausência de um auxiliar para orientar o motorista do reboque que puxava o carro alegórico. Segundo o documento, o caminhão também foi acoplado à alegoria em desacordo com o código de trânsito brasileiro.

Os peritos também indicaram que as dimensões da alegoria e da rua eram muito próximas, tornando o deslocamento mais difícil. Além disso, a área não estava isolada, o que permitiu a circulação desordenada de pessoas durante a passagem do carro.

Com base no laudo, a delegada responsável pelo caso irá definir quem vai responder pelo acidente e por quais crimes.

Informações de SBT News