Mais de 1 milhão de declarações do IR foram retidas na malha fina, diz Receita

A Receita Federal recebeu 38.188.642 declarações do Imposto de Renda das Pessoas Físicas (IRPF), de março a setembro deste ano, e 2,7% do total, ou seja, 1.032.279, foram retidas na malha fina. Os dados foram divulgados nesta quinta-feira (22) pelo governo.

Dentre as retidas, 811.782 (78,6%) são declarações com Imposto a Restituir (IAR), 198.541 (19,2%) são declarações com Imposto a Pagar (IAP), e 21.956 (2,1%), com saldo zero. Ainda conforme a Receita, 41,9% foram retidas por omissão de rendimentos sujeitos ao ajuste anual de titulares e dependentes declarados, 28,6%, por deduções da base de cálculo (despesas médicas são o principal motivo), 21,9%, por divergências no valor de Imposto sobre a renda retido na fonte (IRRF) entre o que consta na declaração e o que foi declarado pela pessoa física, e 7,6%, por deduções do imposto devido, recebimento de rendimentos acumulados e divergência de informação sobre pagamento de carnê-leão e/ou imposto complementar.

A Receita emitirá, neste mês, 444 mil cartas para cidadãos com declarações na malha, visando a informá-los que, se existir erro na que foi apresentado, é possível apresentar declaração retificadora neste momento. Nesta sexta-feira (23), às 10h, será aberta a consulta ao quinto lote de restituição do IRPF 2022. Para fazê-la, é preciso acessar o app ou site da Receita, clicar em  “Meu Imposto de Renda” e, depois, em “Consultar a Restituição”.

O pagamento da restituição é feita, de forma direta ou por Pix, na conta bancária que o contribuinte informou na declaração. Caso o crédito não for realizado, diz a Receita, “os valores ficarão disponíveis para resgate por até um ano no Banco do Brasil”. Se o cidadão quiser reagendar o crédito quando isso ocorrer, é preciso acessar o Portal BB/contatar a Central de Relacionamento BB pelo 4004-0001 (capitais), ou 0800-729-0001 (demais localidades), ou 0800-729-0088 (telefone especial exclusivo para deficientes auditivos). Quando o valor não é resgatado no prazo de um ano, só é possível pedi-lo pelo Portal e-CAC, no site da Receita.

Informações de SBT News