OMS pede cessar-fogo na Ucrânia para cuidados médicos

A Organização Mundial da Saúde (OMS) emitiu, na noite de domingo (13), uma declaração pedindo o cessar-fogo imediato de todos os ataques na Ucrânia para intensificar os cuidados médicos no local. Segundo a entidade, 31 ataques a unidades médicas foram registrados desde o início do conflito militar, resultando na morte de ao menos 12 pessoas, enquanto 34 moradores ficaram feridos.

“Esses ataques estão matando e causando ferimentos graves a pacientes e trabalhadores da saúde, destruindo unidades médicas e forçando milhares de pessoas a abandonarem tratamentos. Atacar os mais vulneráveis – bebês, crianças, gestantes e aqueles que já sofrem de doenças, e profissionais de saúde arriscando suas próprias vidas para salvar vidas – é um ato de crueldade inconsciente”, diz o texto.

A OMS também ressalta que ataques aos profissionais de saúde impactam diretamente a capacidade das pessoas de acessar serviços médicos essenciais. Desde o início do conflito, por exemplo, mais de 4,3 mil nascimentos ocorreram na Ucrânia e aproximadamente 80 mil mulheres devem dar à luz nos próximos três meses. Oxigênio e suprimentos médicos, inclusive para o gerenciamento de complicações da gravidez, estão ficando perigosamente baixos.

“O sistema de saúde na Ucrânia está claramente sob pressão significativa, e seu colapso seria uma catástrofe. Todos os esforços devem ser feitos para evitar que isso aconteça. O direito humanitário internacional e de direitos humanos deve ser respeitado, e a proteção dos civis deve ser nossa prioridade máxima”, frisou a organização. “É fundamental que os agentes humanitários tenham acesso seguro e sem obstáculos para alcançar todos os civis necessitados onde quer que estejam”, completou.

Informações de SBT News