Empresa paranaense oferece soluções em TI para restaurantes

Sistemas tecnológicos de gestão com automação e integração têm auxiliado as redes de Food Service a retomarem o crescimento após a desaceleração da crise causada pela Covid-19. Um exemplo é o de Brasília, que se prepara para retomar seu lugar de protagonismo no cenário gastronômico nacional com a ajuda da automação. O Distrito Federal é o terceiro maior polo gastronômico do Brasil, atrás apenas do eixo Rio-São Paulo.

Neste momento de expansão das operações, com a criação de espaços gastronômicos e a ampliação de redes de restaurantes no Planalto Central, muitas empresas têm recorrido ao uso de tecnologias para a gestão de seus negócios. São sistemas que possibilitam a automatização de processos para uma maior profissionalização, redução de atividades operacionais, ganho de tempo e aumento da produtividade, já que estes softwares permitem a análise do negócio e auxiliam na tomada de decisões assertivas.

“Optamos por investir em um sistema para ter mais controle e segurança nos nossos processos, principalmente na integração de nossas lojas por meio de um backoffice centralizado. Isto trouxe mais consistência aos processos e, também, tornou a gestão mais profissional e organizada”, contou Wender Fonseca de Oliveira, analista de redes e comunicação de dados do Mult, grupo que investiu em tecnologia para a gestão. O grupo é responsável pelo restaurante de cortes argentinos Caminito Parrilla, com duas lojas, o Nazo Japanese Food, também com outras duas lojas, e os restaurantes Eat! especializados em pokes e saladas.

A opção foi trabalhar com o EVEREST 3.0, plataforma de gestão especializada no Food Service, desenvolvido pela ACOM Sistemas, foodtech paranaense com expertise em gestão de cadeias de restaurantes – e que, inclusive, está expandindo a sua atuação para a capital federal devido à alta no mercado Food da região.

Segundo Eduardo Ferreira, CCO da empresa de tecnologia, “um dos pontos que mais tem atraído os clientes a procurarem o EVEREST é o fato de que é uma solução que centraliza não só a gestão de uma loja, mas de todas as lojas de uma rede, perfeita para o momento vivido no mercado brasiliense”.

Um exemplo trazido pelo especialista envolve a Gestão de Estoque, que vai desde o processo de compras que, pode ser centralizado ou por loja, passando pelas negociações com fornecedores, pela auditoria das notas de entrada até à manutenção dos estoques gerais da rede. O próprio sistema, a partir de Machine Learning, permite a análise por parte do gestor tendo em suas mãos informações detalhadas sobre as mercadorias, como custos médios, movimentações, quebras, índice de desperdícios; enfim, tudo para ajudar a tomar a decisão certa para o negócio.

“Necessitávamos de um maior controle de estoque e mais organização no agendamento de pagamentos. Os relatórios com certeza são o ponto principal da adesão do sistema em nossas unidades”, diz Aelson Souza Siqueira, gerente de logística e responsável pela retaguarda na rede Santé Bar e Restaurante, com duas lojas em Brasília, que também é dos proprietários do Açaí Artesanal, que possui cinco lojas.

Ferreira explica, ainda, que a gestão fiscal e financeira promovida pelo EVEREST também é integrada ao restante da operação e tudo o que acontece nas rotinas do negócio refletem diretamente nos números e apurações realizadas pelo sistema. As informações geradas podem ser administradas de forma individual, observando loja a loja, ou de modo consolidado, com relatórios que trazem um panorama completo da saúde financeira e contábil da empresa. Tudo isso fica acessível para as equipes responsáveis, sejam elas internas ou terceirizadas.

O processo de implantação do EVEREST é feito remotamente, seguindo o modelo user friendly, que permite a instalação sem a necessidade de parar a operação do cliente, ou seja, sem impactos nas rotinas do negócio. Por ser uma solução altamente especializada no Food Service, cada etapa do processo de implantação foi pensada e é conduzida para atender às mínimas necessidades do cliente, isso é possível porque a ACOM Sistemas conta com uma equipe que veio do mercado e conhece os principais desafios de quem quer evoluir no segmento.

As oportunidades que a ACOM Sistemas está encontrando na região do Planalto Central estão alinhadas aos desejos de crescimento da empresa, que estudou minuciosamente o cenário dos empreendimentos da capital federal e tem a certeza de que poderá contribuir, e muito, com o desenvolvimento deste importante polo gastronômico. “As empresas de Brasília possuem características com as quais estamos amplamente habituados. Grandes negócios, seja de uma loja ou uma rede de lojas, mas que possuem em comum o desejo de transformar sua gestão e elevar seus resultados a um outro nível”, diz Eduardo Ferreira, CCO da ACOM Sistemas.